Interessados na linha de crédito especial do transporte escolar já buscam atendimento, informa o presidente da GoiásFomento

Presidente da instituição financeira, Rivael Aguiar, disse no radiojornal O Mundo em sua Casa que somente no dia do lançamento, mais de 50 pessoas buscaram o empréstimo

A GoiásFomento pode liberar, de imediato, R$ 9 milhões em linha de crédito com condições especiais para trabalhadores autônomos do transporte escolar e de turismo. Eles estão, há quase três meses, sem renda devido à restrição das atividades econômicas no Estado, por conta da pandemia da Covid-19. Nesta segunda-feira, dia 1º, data do lançamento da nova modalidade de empréstimo, mais de 50 pessoas se mostraram interessadas e já estão providenciando a documentação exigida.

A informação é do presidente da Agência de Fomento, Rivael Aguiar, durante entrevista concedida, nesta terça-feira, 2, ao radiojornal O Mundo em sua Casa das rádios Brasil Central AM e RBC FM. O programa foi apresentado por Emerson Kran e Gil Bonfim. Segundo Rivael, a linha de crédito foi lançada, durante evento, com as presenças do governador Ronaldo Caiado, do secretário da Indústria e Comércio, Wilder de Morais, e do presidente da Assembleia Legislativa, Lissauer Vieira. E de imediato começou o atendimento, realizado na Organização das Cooperativas Brasileiras no Estado de Goiás (OCB).

O valor disponível para cada transportador é de R$ 9 mil, com 12 meses de carência e 48 meses para pagamento, e taxa de juros de 0,8% ao mês. A liberação do empréstimo será feita em três parcelas de R$ 3 mil cada, completando os R$ 9 mil, informou. Para ter acesso a essa linha de crédito, a pessoa tem que comprovar, por meio de documento, que é permissionária da Prefeitura, ou tem contrato com pais, para realizar o transporte de alunos. E precisa estar na atividade até 31 de março último. 

Débito

O transportador interessado não pode ter restrição no SPC ou Serasa anterior a março deste ano. Se ele foi negativado após o período do decreto governamental de 13 de março de 2020, sua análise de crédito será feita como se o transportador tivesse o nome limpo e a GoiásFomento pode fazer a quitação do débito, explicou Rivael.

O presidente da Agência de Fomento esclareceu que esta linha de crédito é específica para os transportadores autônomos, pessoas físicas. Portanto, eles não podem ser microempreendedores individuais (MEIs), já que para estes existem outras modalidades de financiamento disponíveis. Além da OCB-GO, o atendimento está sendo feito no Sindicato dos Transportadores Escolares e em breve será realizado na Associação da categoria.

ABC Digital