HGG é referência em Goiás no acolhimento ao transexual

Desde 2017, ambulatório especializado e multiprofissional do hospital atende a homens e mulheres trans

O Hospital Estadual Geral de Goiânia Alberto Rassi (HGG) é pioneiro na rede pública de saúde em Goiás no atendimento a transexuais, travestis e outras identidades de gênero. Desde 2017, o HGG mantém o Ambulatório TX, Serviço de Identidade de Gênero, Transexualidade e Intersexualidade, onde realiza atendimento especializado a homens e mulheres trans.

No HGG, já foram realizadas 5.718 consultas das mais diversas áreas e 22 cirurgias. Desde a sua criação, já passaram pelo serviço cerca de 550 pacientes e, atualmente, mais de 350 pessoas são acompanhadas no ambulatório. O atendimento multiprofissional abrange desde exames clínicos e acompanhamento psicológico até cirurgias de redesignação sexual, passando por hormonoterapias e outros procedimentos do chamado Processo Transexualizador.

Ao Jornal Brasil Central desta segunda-feira, 31, a médica ginecologista Margareth Giglio, coordenadora do Ambulatório TX, falou da importância do atendimento especializado a este público e dos critérios para participação no programa. "É necessário que o indíviduo tenha 18 anos para entrar no programa e 21 anos para se submeter à cirurgia, depois de dois anos no programa com atendimento psicológico, principalmente", disse a médica.

ABC Digital

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.