Governo estadual intensifica divulgação da oferta de recursos para o setor cultural

No programa Boa Noite Goiás, o secretário de Cultura, César Moura, e o gerente de Audiovisual da Secult, Wellington Dias, explicaram o que é preciso fazer para ter acesso aos benefícios da Lei Aldir Blanc

Até o dia 3 de setembro, as pessoas que produzem ou desenvolvem atividades em todos os segmentos da área cultural podem se inscrever para obtenção de recursos para financiamento e apoio ao seu trabalho. Os recursos são provenientes da Lei Aldir Blanc, repassados pelo Governo Federal e têm como objetivo socorrer os agentes do segmento cultural que perderam ou reduziram suas fontes de renda por causa da pandemia.

Entrevistados na noite de quarta-feira, 11, no programa Boa Noite Goiás, o secretário estadual de Cultura, César Moura, e o gerente de Audiovisual da Pasta, Wellington Dias, que também é conselheiro estadual de Cultura, mostraram os caminhos para que os agentes de todas as linguagens artísticas e culturais reconhecidas possam se candidatar aos recursos. “São R$ 40 milhões disponibilizados pelo Governo Federal e nós já publicamos 20 editais contemplando todos os segmentos culturais. Contudo, é fundamental que os interessados façam as inscrições”, enfatizou o secretário César Moura.

Inscrições

Wellington Dias explicou que o processo de inscrição é muito fácil. Basta que os interessados acessem o site da Secretaria (www.cultura.go.gov.br) ou o site do Mapa Goiano (mapagoiano.cultura.go.gov.br) e analisem os editais para saber em qual deles se encaixa a atividade a ser desenvolvida. Depois é só fazer a inscrição, também nesses sites e aguardar a avaliação das propostas. Para orientar os interessados e facilitar o processo, a Secult realizou uma série de lives que estão disponíveis também no site, mostrando passo a passo os procedimentos para inscrição. A expectativa é receber cerca de 3 mil inscrições.

Os editais são abrangentes e focalizam todos os tipos de manifestações culturais. Entre as áreas contempladas estão projetos de artes visuais, artesanato, audiovisual, arte feminina, pontos de cultura, circo, cultura popular, cultura kalunga e quilombola, crianças e adolescentes, dança, fomento à bibliotecas comunitárias e museus, festivais, direitos humanos, hip hop, letras, teatro e música, além de propostas focadas nas tradições, no saber goiano.

Os artistas circenses, por exemplo, poderão concorrer a 86 prêmios na Lei Aldir Blanc nas categorias artista solo, duos, trios e grupos em cena, escola de circo e criação e montagem. Na categoria circo, os recursos vão de R$ 10 mil a R$ 150 mil por projeto. O titular da Secult reforçou que todos os recursos precisam ser utilizados este ano. O dinheiro não aplicado terá de ser devolvido ao Governo Federal no final do exercício.

Eventos culturais

César Moura, que também é secretário Estadual da Retomada, anunciou a volta de eventos culturais importantes como o Canto da Primavera, em Pirenópolis, e o Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica), além de shows, peças teatrais, festivais de música, feiras artísticas e literárias, realizados em espaços abertos e fechados, incluindo a presença de público, com observância de todos os protocolos sanitários recomendados pelas autoridades de saúde em decorrência da pandemia.

O Canto da Primavera está programado para o período de 30 de novembro a 4 de dezembro, no Cavalhódromo, em Pirenópolis. Já o Fica deverá ser realizado este ano de forma virtual. César Moura explicou que a retomada dos eventos culturais é de fundamental importância para os artistas e produtores culturais, que foram muito prejudicados pela pandemia. Ele adiantou que os artistas goianos que utilizarem os espaços públicos, como o Teatro Goiânia, por exemplo, não vão pagar taxas, conforme já determinado pelo governador Ronaldo Caiado.

Retomada

O secretário César Moura também falou de alguns resultados da Secretaria da Retomada, no momento em que a Pasta completa um ano de atuação. Segundo ele, neste período foram encaminhadas 52 mil pessoas para vagas de emprego e desenvolvidas ações concretas de salvamento e manutenção de pequenas empresas, principalmente pela oferta de crédito a juros subsidiados.

No momento, a Secretaria da Retomada executa um dos maiores programas de qualificação de mão-de-obra, por meio de uma ação integrada com os colégios tecnológicos e o Sistema Nacional de Emprego em Goiás (Sine-Goiás), de modo que as pessoas recebam treinamento específico para ocupar as vagas disponibilizadas. Conforme disse, o Governo Estadual está investindo cerca de R$ 100 milhões nos programas de capacitação, justamente para corrigir uma falha histórica de que há vagas de trabalho, mas faltam pessoas com capacitação para ocupá-las.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.