Governo do Estado fará novo anúncio de atração de investimentos na próxima quinta-feira, dia 13

A informação é do secretário da Indústria e Comércio, Adonídio Vieira, durante entrevista à RBC; durante a pandemia já foram atraídas 23 empresas que vão investir R$ 1 bi em 18 cidades goianas

Na próxima quinta-feira, 13 de agosto, o Governo de Goiás fará novo anúncio de atração de investimentos privados para o Estado. A informação é do secretário da Indústria, Comércio e Serviços (SIC), Adonídio Neto Vieira Júnior, repassada durante entrevista concedida nesta terça-feira, 11, ao programa O Mundo em sua Casa das rádios Brasil Central AM e RBC FM. Esta edição do radiojornal foi apresentada por Ernesto Fleury e Luzeni Gomes.

Conforme o titular da SIC, desde o início da pandemia da Covid-19, ainda em março último, e por determinação do governador, todas as Pastas da área econômica do Governo Estadual têm trabalhado em projetos e medidas, visando ao enfrentamento da crise (econômica). A Secretaria da Indústria, Comércio e Serviços, inclusive, intensificou o trabalho de atração de investimentos. Os resultados, até o momento, são as novas 23 empresas já anunciadas, que vão investir R$ 1 bilhão em 18 cidades goianas.

Produção industrial

O secretário afirmou que, pesquisa do IBGE relativa a maio, último mês divulgado, apontou que Goiás foi a única unidade da Federação que registrou crescimento na produção industrial em relação ao mesmo mês de 2019, com índice de 1,5%. Na média nacional houve queda de cerca de 20%.

Questionado se são os incentivos fiscais os responsáveis pela atração de novas empresas, Adonídio confirmou que eles representam uma ferramenta importante nesse processo, pois “são agressivos e bem direcionados”. Mas lembrou que Goiás foi também o único Estado que lançou um novo programa de desenvolvimento durante a pandemia, o ProGoiás, com lei aprovada e sancionada neste período.

Agronegócio

Ele destacou ainda o fato de o agronegócio ser o ponto forte da economia goiana. Citou os investimentos em logística, com o apoio do governo federal – em breve acontecerá o lançamento da Ferrovia Norte-Sul e novos terminais logísticos estão sendo construídos em território goiano pela iniciativa privada. Apontou a posição geográfica do Estado e as políticas de capacitação de mão-de-obra e de segurança pública como outros atrativos importantes para os investimentos privados.

Sobre a expectativa para o período pós-pandemia, o secretário ponderou que existem boas perspectivas para as indústrias alimentícia e farmacêutica, setores considerados essenciais. Por outro lado, outros setores fortemente impactados pela crise – como indústria automotiva, turismo e aviação – vão exigir um planejamento para garantir a retomada das atividades. Para eles, o Governo de Goiás tem ofertado linhas de crédito para capital de giro.

Impactos

Adonídio admitiu que setores econômicos diferentes tiveram impactos diferentes na pandemia. Citando o governador Ronaldo Caiado, que é médico, adiantou que, para cada paciente terá um remédio. As empresas que estão crescendo durante a pandemia precisam de apoio do Governo do Estado na área da capacitação da mão-de-obra, exemplificou.

Já no caso das empresas que estão sofrendo bastante com a crise econômica por falta de clientes, será preciso trabalhar mais neste segundo semestre, trazendo novas opções, para que consigam a retomada (de suas atividades), argumentou. E concluiu: “O Governo está de mãos dadas com essas empresas para que tenhamos um crescimento da economia por igual”.

ABC Digital