Governo de Goiás investe na alfabetização de adultos

O Projeto Alfabetização em Família, da Seduc, já atendeu cerca de 3 mil pessoas que ainda não sabiam ler e escrever

Para reduzir o índice de analfabetismo de adultos em Goiás, foi criado o projeto Alfabetização em Família. Ele foi lançado em 2019, após pesquisa do Instituto Mauro Borges revelar que havia 285 mil pessoas não alfabetizadas no estado. “Nosso objetivo é dar autonomia para nossos alunos e melhorar a qualidade de vida”, explicou Núbia Rejane Ferreira, superintendente de Modalidades e Temáticas da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), durante entrevista ao vivo no Jornal Brasil Central Edição da Noite desta sexta-feira (4).

Ela explicou que o projeto tenta ser o menos burocrático possível, para atrair as pessoas que não tiveram a oportunidade de estudar. No interior, basta que a prefeitura ou secretaria de educação local faça contato com a Seduc. “Através de uma parceria entre secretaria estadual e o município podemos abrir turmas nessa cidade. Em Goiânia, que ainda não aprendeu a ler e escrever e quer aprender, pode procurar o CRAS [Centro de Referência de Assistência Social], que abrimos turmas nos bairros, de acordo com a necessidade”, detalhou.

O programa de inclusão social já atendeu mais de 3 mil alunos, oferecendo alfabetização e noções básicas de matemática e deve ser expandido para os 246 municípios. “Temos histórias lindas, emocionantes. A gente está vendo isso acontecer no estado todo: o quanto a gente pode transformar a vida dessas pessoas”, ela explicou, ao reforçar que são atendidas pessoas a partir de 16 anos, refugiados que ainda não têm familiaridade com o idioma e presidiários. Ela explicou ainda que não é necessária matrícula na rede estadual e que qualquer pessoa com curso superior pode se candidatar a se tornar um alfabetizador.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.