Governador volta a pedir atenção e cuidado dos prefeitos goianos com a pandemia da Covid-19

Caiado mostrou que está regionalizando o atendimento de saúde em Goiás e que o momento exige um esforço maior de todos, porque os casos têm aumentado

O deputado estadual Bruno Peixoto e o governador Ronaldo Caiado, em live realizada pela ABC

Em live hoje, 10, à tarde, aos veículos de comunicação da Agência Brasil Central (ABC), ancorada pelo radialista Daniel de Paula, o governador Ronaldo Caiado, acompanhado do deputado estadual Bruno Peixoto, líder do governo na Assembleia Legislativa, reiterou o pedido que vem fazendo aos prefeitos goianos para que colaborem com o isolamento social, porque a pandemia da Covid-19 em Goiás está atingindo um índice muito elevado de contaminação da população. Ele informou que apenas três cidades (Goiânia, Aparecida de Goiânia e Anápolis) tinham Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pública e que ele está ampliando isso para outras cidades, interiorizando o atendimento de saúde de qualidade, justamente para atender adequadamente a população das cidades do interior, e citou os exemplos de Posse, Formosa, São Luis de Montes Belos, Uruaçu, Porangatu, Itumbiara, entre outras.

Caiado apresentou os números de hoje da pandemia da Covid-19 em Goiás: 7.221 casos de infectados; 31 mil suspeitos, e 188 mortes. As maiores preocupações, segundo ele, são com as cidades do Entorno do Distrito Federal, Goiânia, Aparecida de Goiânia e Rio Verde, onde ontem registrou um grande aumento de infectados. Sobre esta cidade, disse que fez hoje uma videoconferência com o prefeito Paulo do Vale, outras autoridades e dirigentes da BRF Foods, acertando as providências, apoiando e colaborando com as iniciativas para testagem e cuidados com os infectados. A empresa, que é grande produtora de carne na região Sudoeste de Goiás, paralisou as atividades, até que todas as providências sanitárias sejam tomadas e não existam mais novos casos na empresa. O governador disse que pediu ajuda também à ministra da Agricultura, Tereza Cristina e ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

Falou também do trabalho para aquisição de 100 respiradores, através de uma empresa da Itália. Disse que conversou com o embaixador do Brasil na Itália, Hélio Vitor Ramos Filho, que é seu amigo, para ele ajudar na correta condução desse processo, observando que está enviando uma servidora estadual, que é técnica na área, para ir até a fábrica fornecedora, em Milão, e verificar a idoneidade da empresa e acompanhar os trâmites da compra, mesmo porque é preciso depositar antecipadamente 50% do custo da compra. Os respiradores custarão um total de R$ 70 mil. Disse ainda que está muito atento à área de saúde em Goiás, regionalizando o atendimento, com leitos de UTIs em hospitais, para melhorar e facilitar o atendimento dos infectados com o novo coronavírus nos locais aonde moram. Citou o exemplo de Trindade, que tem um hospital de urgência, mas não tinha UTI, observando que tem recebido ligação de moradores de que o prefeito abriu tudo e que tem aumentado lá o número de contaminados.

Segundo ele, não cabe demagogia nesse momento, nem oportunismo. “A ciência é o melhor caminho”, assinalou, dando em seguida dados de abril e maio da queda de mais de 750 milhões de reais da arrecadação do Estado e informando que ontem recebeu a primeira parcela da compensação do governo federal, R$ 296 milhões. Informou ainda que as áreas de Turismo e Cultura vão começar a receber recursos a serem destinados aos artistas e aos empreendedores dessas áreas. Enfatizou que o propósito de todo esse trabalho que realiza em função da pandemia é o de ter o menor número de óbitos em Goiás, por isso mesmo tem enfatizado com prefeitos que cuidem, que façam isolamento. 

O deputado Bruno Peixoto disse, em sua participação, que o governador está fazendo a diferença na vida das famílias goianas, porque acabou com a “ambulancioterapia” e as pessoas ficam tranquilas em saber que têm um hospital perto de casa, para quando precisarem. Informou sobre dois projetos que foram aprovados na Assembleia, o que isenta de ICMS de energia as famílias que consumirem até 220 KW, que abrange mais de 50 mil famílias em Goiás, e o do GoiásTec, que põe o Ensino Médio ao alcance de todos, com professores qualificados e monitores nas salas de aula orientando, dando igualdade de condições para concorrerem no Enem, o que qualificou de “uma luta que o senhor governador tem para diminuir a desigualdade em Goiás”. Em seguida, enfatizou: “O senhor está fazendo a diferença para muitas famílias goianas”.

Você pode conferir a live realizada pela ABC na íntegra pela página da TV Brasil Central no Facebook.

ABC Digital