Caiado garante segunda etapa do Projeto de Irrigação de Luiz Alves

Recurso de R$ 20 milhões, para o início da obra, virá através da Sudeco e projeto prevê dobrar a produção que hoje é de 15 mil toneladas de arroz

Reportagem da TV Brasil Central acompanhou caravana de autoridades, capitaneada pelo governador Ronaldo Caiado, em visita ao Projeto de Irrigação de Luiz Alves Araguaia (PILAA), distrito de São Miguel do Araguaia, que está recebendo recursos de R$ 20 milhões da Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), com apoio da Codevasf (Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco e Parnaíba), para o início da segunda etapa, podendo dobrar a produção atual que é de 15 mil toneladas de arroz. O governador estava acompanhado, entre outras autoridades, pelo presidente da Codevasf, Marcelo Moreira, e o superintendente da Sudeco, Nelson Vieira Fraga Filho.

Marcelo Moreira confirmou a estimativa de R$ 20 milhões para o início da segunda etapa em Luiz Alves e garantiu que todo ano haverá recursos novos, “onde vai possibilitar que a Codevasf, junto com o Governo de Goiás, possa gerir esse projeto da forma mais adequada possível”. A primeira etapa, concluída em 2001, beneficiou 36 produtores rurais e a previsão, para esta segunda etapa, é de beneficiar mais 60 produtores. Entrevistado, o agricultor Délcio Lopes informou que quando começou a produzir lá conseguia 40 sacos de arroz por hectare e hoje já produz 120 sacos, confirmando que houve um ganho muito grande em produtividade.

“Queremos fazer com que essa infraestrutura de produção seja rapidamente repassada aos produtores rurais e que venha ampliar a produção de arroz, já que Goiás hoje está com a produção bem aquém daquilo que já consumimos”, destacou o governador, observando que Goiás consome mais arroz do que produz e que, hoje, “o plantio em áreas irrigadas dá a certeza ao produtor rural de que a plantação será preservada pela água, com as comportas abertas garantindo ali a oferta de água para o arroz”.

Ele ressaltou que a iniciativa ajuda na meta que ele defende de fazer com que o desenvolvimento chegue especialmente às regiões mais carentes do Estado. Uma das estratégias é garantir, via recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste, mais acesso ao crédito para o cidadão ter condições de fazer o seu empréstimo. “Eu tenho acompanhado todas as reuniões pra dizer que, agora, a regra é essa: se você quer dinheiro barato, então vai para São Miguel do Araguaia, Nova Crixás, Porangatu, Mambaí, Posse. Essa é a minha política, que não é para agradar aqueles que, só de subsídio no Estado de Goiás, já ganharam milhões e milhões”, comparou.

Governo de Goiás e Sudeco

Também participando da comitiva, o titular da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Antônio Carlos de Souza Lima Neto, destacou que a retomada do projeto está prevista para 2021. “Não queremos vir aqui simplesmente fazer um discurso, prometer e não ter condição de cumprir. Estamos aqui para que a gente possa construir saídas e caminhos, que nos direcionaram para retomada das obras que se encontram há muitos anos paralisadas”, garantiu. O foco é fortalecer e incrementar a produção de arroz, a partir do método por inundação, que já ocupa 16 mil hectares no Estado. Ao todo, são 350 mil hectares de área irrigada em Goiás.

“Embora a pecuária seja prioridade local, a agricultura irrigada leva esta vocação em consideração, mas permite produzir mesmo em período de chuva, com todo um trabalho do solo, ampliando as atividades econômicas locais, movimentando o comércio”, pontuou Nelson Vieira Fraga Filho, acrescentando que a Sudeco está presente desde o início. “Já temos R$ 52 milhões empenhados e conseguimos segurar este recurso para manter o projeto vivo, graças também ao trabalho competente da secretaria [Seapa] e do governador”, reiterou, observando que o projeto é importante também do ponto de vista do abastecimento, porque o arroz é um produto de primeira necessidade do povo brasileiro.

 Depois, o governador vistoriou trechos de rodovias em obras na região Noroeste de Goiás: a GO-347, entre Santa Terezinha de Goiás e Nova Iguaçu, a GO-439, entre Pilar de goiás e Guarinos e a GO-156, de Uirapuru a Mundo Novo.

ABC Digital, com dados da Secretaria de Comunicação de Goiás

Utilizamos cookies essenciais e tecnologicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.