Governador apresenta primeiro ônibus elétrico para o Eixo Anhanguera

Projeto vai modernizar a frota do Eixo Anhanguera com uso de ônibus articulados, totalmente elétricos, sem ruídos e sem emissão de carbono na atmosfera. E mais: valor da tarifa não terá aumento

A partir de julho deste ano, a maior parte da frota de ônibus que circula no Eixo Anhanguera será composta por ônibus elétricos, articulados, que não emitem ruídos e nem lançam CO2 na atmosfera. A primeira viagem do Projeto Piloto, que é pioneiro em todo o País, foi realizada hoje, 17, pelo governador Ronaldo Caiado e auxiliares como o secretário de Governo, Adriano Rocha Lima, e o presidente da Metrobus, Francisco Caldas.

“Goiás sai mais uma vez na frente em tecnologia e inovação. Vamos usar ônibus totalmente elétricos, articulados, sem barulho e que vão garantir mais conforto, segurança e eficiência no transporte de passageiros em Goiânia e Região Metropolita”, afirmou o governador em entrevista ao vivo à TV Brasil Central. Outras vantagens dos novos ônibus são a possibilidade de carregar telefones celulares no próprio veículo e acesso ao wi-fi. Caiado explicou também que o projeto inclui ainda reformas de plataformas de embarque e reordenamento de todo o sistema.

Tarifa sem aumento

Ainda durante a apresentação dos ônibus elétricos, o governador Ronaldo Caiado garantiu que a tarifa do transporte coletivo não terá aumento para o usuário, além do que aquelas pessoas que percorrerem distâncias iguais ou menores que cinco quilômetros vão pagar a metade do valor da tarifa, que hoje é de R$ 4,30. “Nós estabelecemos uma Parceria Público-Privada (PPP) que inclui a Metrobus, as prefeituras dos municípios que se beneficiam com o Eixo Anhanguera e com as empresas privadas, o que tornou viável o projeto”, reforçou o governador.

O secretário de Governo, Adriano Rocha Lima, discorreu sobre os detalhes do Projeto de Lei aprovado e que cria as tarifas de remuneração e de usuário. A tarifa de remuneração tem o objetivo de equilibrar financeiramente o contrato com as empresas e a tarifa de usuário é o valor pago pelos usuários, que vão variar de R$ 2,15 a R$ 4,30. “O aspecto mais relevante é que Goiás sai na frente, moderniza o transporte coletivo da capital e Região Metropolita, melhora

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.