GoiásFomento liberou mais de R$ 50 milhões em linhas de crédito este ano para atender micro e pequenos empresários

Em entrevista à RBC, presidente Rivael Aguiar disse que, desse total, R$ 43 milhões foram contratados durante a pandemia; Agência vem adotando série de ações para facilitar o acesso ao crédito

Este ano, de janeiro a agosto, a GoiásFomento liberou mais de R$ 50 milhões em linhas de crédito. Somente no período da pandemia da Covid-19, a partir de março, foram contratados R$ 43 milhões em financiamentos emergenciais, que contemplaram 892 empresas de pequeno e médio porte, microempreendedores individuais (MEI) e microempresas.

O balanço é do presidente da GoiásFomento, Rivael Aguiar, que participou, nesta terça-feira, 22, do programa O Mundo em sua Casa das rádios Brasil Central AM e RBC FM. Na entrevista concedida aos apresentadores Emmerson Kran e Gil Bomfim, ele confirmou que a instituição dispõe de recursos financeiros para atender os empreendedores goianos, sendo que o governador tem se empenhado na busca de mais dinheiro junto ao governo federal.

Assim, acrescentou, foi possível conseguir mais R$ 54 milhões em recursos do Fungetur (Fundo Geral do Turismo, do Ministério do Turismo) junto à Caixa Econômica Federal, que agora estão disponíveis para os empresários do segmento turístico goiano.

Secretaria da Retomada

Rivael informou ainda que foi adotada uma série de ações para facilitar o acesso ao crédito, como o Fundo de Aval do Sebrae e o convênio com a Sociedade Garantidora de Crédito. Ele destacou ainda a criação da Secretaria de Estado da Retomada.

Informou que a GoiásFomento está participando do programa Mais Crédito, da Secretaria da Retomada, em parceria com a Acieg, instituições financeiras e credoras das empresas, para proporcionar as renegociações junto aos cartórios de protesto. Conforme ele, a ação já atendeu mais de 1.250 micro e pequenos empresários.

Convênio

O presidente da Agência de Fomento disse que ontem, 21, durante a campanha do Mais Crédito na Acieg, foi assinado convênio com os cartórios de protesto e a Associação Comercial. Por meio dele, será possível o empresário incluir as custas cartorárias nos itens financiáveis da renegociação com a GoiásFomento e as demais instituições financeiras.

“Essa questão das custas cartorárias era um problema, porque a pessoa tem que pagar à vista para concluir a renegociação e retirar o protesto. Então, agora ela poderá financiar também essas custas cartorárias”, explicou.

Quem desejar mais informações sobre as linhas de crédito da Agência de Fomento, basta acessar o site www.goiasfomento.com. De acordo com Rivael, a GoiásFomento está atendendo na Acieg durante a campanha Mais Crédito. O atendimento é agendado por meio do e-mail da Retomada: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., ou pelo fone (62) 3237-2630.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.