Goiás tem menor taxa de desemprego desde 2015

Dado no Novo Caged é referente ao terceiro trimestre de 2022; os setores que mais contribuíram para a geração de novos empregos no Estado foram serviços e comércio

Goiás atingiu no terceiro trimestre de 2022 uma taxa de desocupação de 6,1%, a menor registrada  desde 2015, conforme dados apurados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), do Ministério do Trabalho e compilados pelo Instituto Mauro Borges de Estatística e Pesquisas Socioeconômicas (IMB). O resultado coloca Goiás em oitavo lugar no ranking dos Estados com o menor índice de desocupação no período. Foi o que mostrou reportagem veiculada no O Mundo Em Sua Casa desta quarta-feira (18).

De acordo com o secretário da Retomada, César Moura, em 2022 foram mais de 57 mil alunos matriculados nos Colégios Tecnológicos (Cotecs), que oferecem cursos gratuitos de qualificação e capacitação profissional. “Com mais gente qualificada, mais vagas estão sendo ocupadas. A gente segue para diminuir cada vez mais a taxa de desocupação”, disse. No terceiro trimestre de 2022, a taxa de desocupação caiu 3,9 pontos percentuais em comparação com o mesmo período do ano anterior. 

Números

Foram registradas 426.986 movimentações no mercado de trabalho no terceiro trimestre de 2022, aumento de 15,55% em relação ao mesmo período de 2021. O mapeamento do Novo Caged revelou ainda que 226.150 trabalhadores foram admitidos e 200.836 desligados, o que gerou um saldo de 25.314 empregos. No acumulado de 2022 (de janeiro a setembro) foram gerados mais de 100 mil novos postos de trabalho no Estado. O setor de serviços teve saldo de 11.675 empregos (46,7% do saldo total), seguido do comércio, com saldo de 5.662 (22,6%). Em terceiro lugar ficou o setor de informação, comunicação e atividades financeiras-administrativas, com 4.375 vagas (17,5%).

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.