Gestão do Centro Cultural Oscar Niemeyer é transferida para a Goiás Turismo

Em entrevista à RBC, o presidente Fabrício Amaral anunciou que ainda em agosto o espaço será reaberto às atividades esportivas; objetivo é promover extensa programação cultural e de entretenimento

O presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, afirmou nesta sexta-feira, 6, que ainda agora em agosto as atividades esportivas vão retornar no Centro Cultural Oscar Niemeyer. Ele pretende também elaborar uma extensa programação cultural e de entretenimento para o local. A minirreforma administrativa do Governo do Estado, promovida por meio da Lei nº 20.820 de 4 de agosto último, transferiu a Diretoria do espaço cultural para a Goiás Turismo.

Fabrício concedeu entrevista ao programa O Mundo em sua Casa das rádios Brasil Central AM e RBC FM. Na ocasião, falou com os apresentadores Marcelo Cabral e Paulo Henrique Santos sobre a mudança da gestão do Oscar Niemeyer, a criação do Conselho Estadual de Turismo e a busca de apoio financeiro para os microempresários e trabalhadores do turismo durante este período de crise provocado pela pandemia.

O presidente da Goiás Turismo disse que recebeu “com alegria e certa preocupação” a gestão do Centro Cultural Oscar Niemeyer. Segundo ele, é o espaço cultural mais importante do Centro-Oeste e está entre os dez ou cinco mais importantes do Brasil. “Vamos reunir com a equipe do Oscar Niemeyer, que é pequena, e já solicitei relatório completo de como está a estrutura física do espaço, por (questão de) segurança”, adiantou. Disse que quer ver aquele espaço cheio de pessoas brincando e fazendo atividades culturais.

Fabrício afirmou que pretende incrementar as atividades das duas bibliotecas, que devem ser retomadas também em agosto. Citou a Orquestra Filarmônica de Goiás e anunciou que pretende promover uma grande mostra cultural no museu, e para isso já está falando com parceiros. Contou que o pessoal do canal Multishow ligou e demonstrou interesse em fazer gravações e realizar (solenidade de) entrega de prêmio no espaço.

“Nós precisamos de organização e disposição para o trabalho. Parcerias, a gente tem muito relacionamento com (o setor) privado, para ver as pessoas usando o espaço. Espaço público sem pessoas não tem sentido”, salientou.

Conselho

O presidente da Goiás Turismo discorreu também sobre a criação do Conselho Estadual do Turismo, composto por representantes da cadeia turística goiana. Ao todo, 79 municípios estão representados. Entre as funções do Conselho está a de definir políticas públicas para alavancar o turismo em Goiás, gerando emprego e renda. A ideia é que os integrantes tenham voz, possam opinar e sugerir ações visando à recuperação do turismo e da economia goiana, explicou.

Conforme Fabrício Amaral, a partir dessas discussões será montado o planejamento estratégico por regiões turísticas. Depois serão definidas as ações imediatas a serem adotadas até dezembro próximo, visando a recuperação do turismo goiano. Para o ano de 2021 será elaborado novo planejamento estratégico. “Esses três pontos estão em nosso radar”, adiantou.

Apoio financeiro

Sobre o apoio financeiro a microempresas turísticas e trabalhadores do setor neste momento de crise provocada pela pandemia, o presidente da Goiás Turismo disse que, em março último, a Goiás Turismo obteve recursos da ordem de R$ 23 milhões junto ao Ministério do Turismo para empréstimos. A GoiásFomento está operacionalizando essa linha de crédito e já contratou em torno de R$ 4 milhões. “Os empresários ainda estão muito receosos na obtenção do crédito, diante da dificuldade e da falta de expectativa de receitas”, avaliou.

Em paralelo, informou que está sendo criado, com a Secretaria da Retomada e outros colegas do Governo, uma forma de auxílio financeiro para os profissionais do turismo, que teria como contrapartida alguma forma de qualificação. Seria concedido um auxílio pelo período de três meses. “Nos próximos dias teremos uma resposta (a respeito dessa proposta)”, disse Fabrício.

Afirmou ainda que tem conversado com os prefeitos das cidades turísticas, que é o foco da Goiás Turismo, para ajudar no que for necessário, na articulação com o governador, com a Secretaria de Estado da Saúde, com o Centro de Operações de Emergência em Saúde (COE), e também com as autoridades de Brasília.

ABC Digital