Força-tarefa vai fiscalizar a movimentação de turistas nas praias do Araguaia no feriado de 7 de setembro

Presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, explicou em entrevista à RBC que medida é necessária para evitar aglomeração de pessoas na região turística

A força-tarefa que fiscalizou as praias do Rio Araguaia no último mês de julho, época de temporada turística na região, vai atuar no mesmo formato também no feriado prolongado de 7 de setembro. A decisão foi tomada após as forças de segurança detectarem movimentação de turistas em direção aos municípios da região.

O presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, conversou sobre esse assunto com os apresentadores Ernesto Fleury e Luzeni Gomes nesta quinta-feira, 3, no programa O Mundo em sua Casa das rádios Brasil Central AM e RBC FM.

Ele explicou que, novamente, equipes da Polícia Militar Ambiental, Secretaria do Meio Ambiente (Semad) e Corpo de Bombeiros Militar vão atuar visando orientar e, se necessário, aplicar as penalidades previstas no decreto estadual. O objetivo é evitar aglomerações de pessoas nas praias do Araguaia no feriado.

“As pessoas têm que lembrar que ainda estamos num momento de pandemia muito preocupante, num platô e, consequentemente, de contaminações e óbitos decorrentes da doença (Covid-19)”, afirmou. Ele pediu “encarecidamente” que as pessoas contribuam nesse “momento difícil” de pandemia.

Temporada

O presidente da Goiás Turismo contou que a operação realizada em julho último foi um sucesso, e contou com a conscientização e a colaboração das pessoas. “Isso é muito valioso, do ponto de vista de mudança de comportamento”, observou. Relatou que naquele mês, época da Temporada do Araguaia, as equipes de fiscalização identificaram algumas irregularidades, como montagem de barracas e venda de comidas e bebidas.

Entretanto, em quase a totalidade dos casos, não foi preciso autuar de uma forma firme, só a orientação foi suficiente para resolver. Foram aplicadas multas, que são significativas, mas muito decorrentes de crimes ambientais, informou. De maneira geral, as pessoas foram colaborativas. “Tenho certeza que no feriado próximo vai ter o mesmo perfil”, destacou.

Fabrício lembrou que a fiscalização da força-tarefa ocorre basicamente nas praias do Rio Araguaia. Nos municípios turísticos da região os prefeitos têm “autonomia total” para estabelecer seus decretos e determinar o que vão restringir ou flexibilizar, ou se vão fechar parcialmente a cidade, afirmou. A Goiás Turismo colabora com os gestores municipais passando os protocolos oficiais. Ele reforçou que as pessoas devem se orientarem com antecedência.

Pirenópolis

Questionado a respeito de Pirenópolis, disse que a tendência neste feriado é a cidade receber um fluxo maior de pessoas – pela proximidade com Goiânia, Anápolis e Brasília. Porém a capacidade máxima de ocupação (de hospedagem) lá é de 50%. Admitiu que em locais onde costumeiramente as pessoas se reúnem, como a Rua do Lazer, será necessária a atuação da fiscalização municipal. E a Polícia Militar está orientada para apoiar esse trabalho.

Como lição dessa pandemia, Fabrício Amaral acredita que deverá ficar algo interessante: mais organização nos destinos turísticos e maior preocupação com a capacidade de carga. Isso porque ninguém gosta de chegar a um local e ele estar repleto, com centenas ou milhares de pessoas, desordenadamente, argumentou.

ABC Digital