Fiscalização fecha forró e aplica mais de 60 multas em Aparecida de Goiânia

Segundo o secretário Claudio Everson, denúncias do tipo triplicaram no município desde o início da pandemia de coronavírus

O secretário Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Aparecida de Goiânia, Claudio Everson, e a apresentadora Michelle Bouson, nos estúdios da TBC

Com apoio de policiais militares, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Aparecida de Goiânia atuou novamente para fechar uma festa dançante no último fim de semana. No forró, havia mais de 60 pessoas aglomeradas em um pequeno salão de uma chácara no Jardim Maranata.

O dono da chácara é reincidente nessa infração e pagará R$ 10 mil por cada multa aplicada. Outras festas foram interditas na cidade durante o fim de semana. Segundo o secretário Claudio Everson, além das multas, a secretaria pretende levar os responsáveis pelo local e pela festa a responder também na esfera criminal. 

“Poluição sonora é da esfera administrativa, passível de multa, e a perturbação do sossego público é da esfera penal. Então, quem promove a poluição sonora automaticamente promove a perturbação do sossego público vai pagar multa e vai responder a processo penal”, disse Everson em entrevista à apresentadora Michelle Bouson no TBC 1 nesta segunda-feira, 20.

De acordo como secretário, houve um grande aumento no número de denúncias do tipo desde o início da crise da Covid-19. “Desde março, início do período de pandemia, triplicou o número de denúncias que temos recebido em relação a festas e poluição sonora”, relatou ao final incentivando a população a continuar denunciando esse tipo de infração.

Confira a entrevista completa:

ABC Digital