Fernando Krebs comenta fim da Lava Jato e César Moura anuncia investimento na cultura

Os dois foram os entrevistados por Paulo Beringhs no programa Boa Noite Goiás desta quarta-feira, 3/2

O promotor de Justiça Fernando Krebs disse que o fim das forças-tarefas do Ministério Público Federal, incluindo a Lava Jato, e que agora serão substituídas por grupos de procuradores para conduzir as medidas de combate ao crime organizado e à corrupção, não deverá significar o esvaziamento do trabalho, mas admitiu que haverá menor intensidade das ações e da entrega de resultados, pela redução do número de procuradores em cada grupo.

Em entrevista na quarta-feira, 3, ao programa Boa Noite Goiás, apresentado pelo jornalista Paulo Beringhs, Fernando Krebs reforçou que a Lava Jato, a mais conhecida força-tarefa do Ministério Público, terá continuidade de suas atividades, porque muitas ações judiciais continuam tramitando. “O resultado da Lava Jato é um grande legado para a sociedade brasileira no que tange ao combate à corrupção e esperamos que o Ministério Público continue priorizando essa área que foi destaque nos últimos anos”, afirmou o promotor.

Fernando Krebs foi enfático ao afirmar que grupos de políticos e gestores públicos vêm atuando fortemente pelo enfraquecimento das ações de combate à corrupção. Tanto que o próprio Supremo Tribunal Federal havia aprovado a prisão em segunda instância e depois voltou atrás. No Congresso Nacional, a segunda instância também não foi aprovada, assim como o projeto de redução do foro privilegiado. Citou também que o pacote anticrime apresentado e defendido pelo então ministro da Justiça, Sérgio Moro, foi completamente deformado no Congresso. “O que é lamentável é que muitos políticos se elegem com plataformas de combate à corrupção, mas depois se esquecem delas”, enfatizou.

Recursos para a cultura

O secretário de Estado da Retomada, César Augusto Moura, que no momento ocupa interinamente a Secretaria Estadual de Cultura, foi outro entrevistado no Boa Noite Goiás de quarta-feira. Ele anunciou a liberação de R$ 2,5 milhões para o pagamento de pequenos produtores e pequenas empresas que trabalharam no Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica) e no Canto da Primavera no ano de 2018, débitos deixados pela gestão anterior. “O governador Ronaldo Caiado determinou a liberação desses recursos que vão acelerar a retomada da economia neste momento de pandemia”, ressaltou Moura. O secretário também anunciou a liberação de outros R$ 4,2 milhões referentes ao pagamento de artistas no âmbito da Lei Aldir Blanc.

Em relação às ações de retomada da economia, César Moura reforçou que já houve grandes avanços, principalmente pelo ordenamento da oferta de vagas de trabalho e pela qualificação das pessoas. “Quando assumimos a plataforma do Programa Sine, tínhamos uma média mensal de 320 vagas. Hoje são 5 mil vagas/mês e há um grande esforço para qualificar pessoas para ocupação dessas vagas”, ressaltou. Moura anunciou também que está preparando projetos para obter recursos de R$ 4,5 milhões do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) para capacitação profissional em Goiás.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.