Feriado à vista: infectologista recomenda atenção devido à pandemia

Médico Marcelo Daher disse à RBC que é mais prudente manter todos os cuidados sanitários e evitar aglomerações, pois está ocorrendo grande número de casos de Covid-19 em pessoas mais jovens, inclusive com óbitos

Esta semana será curta. Como na quinta-feira, 3, será feriado nacional de Corpus Christi, os goianos terão um final de semana prolongado. Muitas pessoas vão procurar as cidades turísticas do Estado, fato que pode gerar aglomerações, que é um dos fatores de risco para a contaminação da Covid-19.

Em entrevista ao programa O Mundo em sua Casa das rádios Brasil Central AM e RBC FM nesta quarta-feira, 1º, o médico infectologista Marcelo Daher demonstrou preocupação com os possíveis efeitos do feriado prolongado. Ele lembrou que são quatro dias em que as pessoas vão provavelmente viajar em um momento em que todas as regiões de Goiás estão com matriz de risco leve e, por isso, com quase todas as atividades liberadas.

O médico alertou que essa situação “é um risco”, porque já está ocorrendo aumento na transmissão da doença e nas taxas de ocupação de leitos de enfermaria e de UTI, com índice de vacinação ainda baixo. “Acho que seria mais prudente que as pessoas ainda mantenham toda a questão dos cuidados de uso de máscara e distanciamento, e evitar aglomerações, principalmente em ambientes fechados”, recomendou.

Desenho atual

Marcelo Daher traçou o desenho atual da pandemia em Goiás: tem uma população hoje mais velha e com comorbidades bastante vacinada; e outra população mais ativa, que circula mais, que não está vacinada e corre risco de adoecer. Ponderou que, talvez, a terceira onda da pandemia aconteça com o aumento do número de casos, mas sem refletir tanto em número de internações e mortes. “A gente espera que isso aconteça”, afirmou.

Pela vacinação que já aconteceu em larga escala entre os idosos, a expectativa é que ocorra uma diminuição de gravidade da doença. “Mas é difícil se por à prova, expor e ver o que vai acontecer, porque pode dar errado”, frisou. Então, recomendou, o ideal seria ainda manter os cuidados para frear a transmissão, principalmente diante das novas variantes do vírus.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.