Feira especial de Goiânia que não cumprir protocolo sanitário poderá ser interditada

O alerta é do secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Walison Moreira; ele rebateu crítica ao modelo de funcionamento com alternância das bancas em entrevista à RBC

As atividades das feiras especiais estão autorizadas a retomar o funcionamento em Goiânia a partir desta terça-feira, 21, mas cumprindo regras sanitárias específicas e adequações a serem adotadas pelos feirantes. Assim, as feiras Hippie, da Lua, do Sol, da Madrugada, entre outras, que não vendem hortifrutis, poderão funcionar, mas obedecendo a critérios rígidos.

Além do distanciamento de dois metros entre uma banca e outra, ficou determinado que todas as bancas não voltarão a operar ao mesmo tempo. Em uma semana funcionarão as bancas de números pares, e na outra as ímpares, e assim por diante. Foi o que ficou acordado com os representantes de entidades ligadas aos feirantes em reunião realizada na semana passada, explicou o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia de Goiânia, Walison Moreira.

“O importante é recomeçar a atividade, fazer o nosso trabalho e obedecer aos protocolos”, afirmou o titular da Sedetec aos apresentadores Marcelo Cabral e Paulo Henrique Santos, em entrevista concedida nesta segunda-feira, 20, ao programa O Mundo em sua Casa das rádios Brasil Central AM e RBC FM. Como resposta às críticas de representantes de algumas feiras, de que o modelo de alternância das bancas seria inviável, Walison disse que, “antes de falar que é inviável, é preciso tentar”. 

Alerta

Durante a entrevista ele fez o seguinte alerta: seguindo orientação da Secretaria Municipal de Saúde, e do próprio prefeito, caso a situação saia do controle e haja desobediência generalizada no cumprimento do protocolo sanitário determinado, em último caso a feira toda poderá ser interditada. Por isso, pediu a colaboração dos feirantes.

O secretário ponderou que a Prefeitura gastou bastante energia na elaboração dos protocolos de segurança sanitária para as feiras especiais, comparando com os protocolos de outras capitais e adaptando à realidade de Goiânia. Tudo isso para que a atividade pudesse ser retomada com segurança, tanto para os feirantes quanto para os consumidores.

Sobre os ambulantes, que segundo os feirantes poderiam se aproveitar dos espaços vazios entre as bancas para se estabelecer, Walison reafirmou que a mesma fiscalização que está atuando no comércio varejista da capital visitará as feiras especiais. Ele admitiu, contudo, que o problema dos vendedores ambulantes é anterior (à pandemia), mas garantiu que a fiscalização (nas feiras especiais) será pesada.

Participação no TBC 1

A edição desta segunda, 20, do telejornal TBC 1 também contou com a participação ao vivo do secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia de Goiânia, Walison Moreira. Confira a entrevista completa:

ABC Digital