Especialista em RH avalia retomada do mercado de trabalho no TBC 1

Para Dilze Percílio, abertura de novas vagas de emprego deve demorar pelo menos três meses depois da reabertura total da economia

A apresentadora Michelle Bouson e a consultora em Recursos Humanos Dilze Percílio, nos estúdios da TBC

A reabertura do comércio e serviços na Grande Goiânia tem gerado expectativas não só para os empresários, mas também para trabalhadores e principalmente a quem está desempregado e busca se recolocar no mercado de trabalho. Dados do Sistema Nacional de Emprego (Sine) em Goiás mostram uma média de 35 mil pedidos de seguro-desemprego por mês, número alto que continua em ascensão. 

Para entender os impactos da reabertura no mercado de trabalho, a apresentadora do TBC 1, Michelle Bouson, recebeu a consultora em Recursos Humanos (RH) Dilze Percílio nos estúdios da TV Brasil Central nesta segunda-feira, 8. Ela, que é diretora de uma empresa de consultoria e seleção de pessoal, opina na coluna Bate-papo do Dia que uma abertura maior de vagas de trabalho deve demorar pelo menos três meses após a reabertura total da economia.

“Porque aí o empreendedor já terá entendido como será essa nova onda de consumo. Porque não é só reabrir. Será que as pessoas vão voltar a consumir na mesma intensidade e comprando as mesmas coisas?”, disse acrescentando que, a essa avaliação dos empresários, terá ainda os efeitos das medidas tomadas durante a pandemia, como suspensão de contratos de trabalho e férias individuais ou coletivas.

Para Dilze Percílio, nesse cenário de retomada lenta do mercado de trabalho, as pessoas não devem ficar paradas à espera dessa volta da oferta de empregos. É preciso manter-se ativo com seus contatos pessoais ou virtuais e principalmente fazer cursos de qualificação online. De acordo com ela, áreas como tecnologia e educação deve liderar a retomada das vagas de trabalho.

Confira a entrevista na íntegra:

ABC Digital