Em Goiás, Monkeypox está controlada, mas o alerta continua

Houve até agora 485 casos da Monkeypox no Estado, com 414 recuperados e 89 ainda ativos. Médicos fazem oficinas de atualização para lidar com a doença

Mesmo com a estabilização dos casos da Monkeypox (varíola dos macacos) em Goiás, as autoridades do setor estão atentas e orientando a população para os cuidados preventivos, visando evitar a contaminação. O número de contaminados em Goiás está estável em 485 casos e ninguém morreu em consequência da doença. Desse total, 414 se recuperaram e 89 ainda estão com o vírus ativo. Em Goiânia ocorreram 359 casos. A Superintendência de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual de Saúde faz o alerta e informa que é importante ficar atento aos sinais e observa que havendo suspeita é preciso procurar um profissional de saúde. O Jornal Brasil Central desta terça-feira, 11, trouxe matéria sobre o assunto.

A superintendente Flúvia Amorim disse que a pessoa pode ter febre, íngua e, principalmente, o surgimento de lesões de forma abrupta, que sejam compatíveis com varíola. “A pessoa obrigatoriamente precisa passar por um médico, que vai avaliar se ela é suspeita ou não e a partir da suspeita é feita a autorização para a coleta de exame”, observou. Informou que estão sendo feitas, em Goiânia, oficinas para qualificar os profissionais de saúde que cuidarão dos casos da doença no Estado. “A maioria desses profissionais formados hoje nunca viram um caso de varíola. É uma doença que para muitos é um caso novo. A capacitação vem para atualizar esses profissionais de saúde”, afirmou.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.