Economista fala à RBC sobre investimentos em época de juros baixos

Maurício Vono disse à RBC que apesar da baixa atratividade da renda fixa com a queda da Selic, há boas oportunidades de crescer patrimônio no país

Com uma taxa básica de juros a 2,25% ao ano, a menor Selic da série histórica no país, as opções de investimentos se abrem para além da sopa de letrinhas da renda fixa do mercado financeiro (RDB, CDB, Caderneta de Poupança, LCA, LCI, etc.). Para falar dessas opções de investimentos, o economista Maurício Vono participou nesta segunda-feira, 6, do programa O Mundo em Sua Casa, radiojornal das emissoras RBC FM e Brasil Central AM.

Ele conversou com os apresentadores Jerônimo Venâncio e Rafael Mesquita e disse que os juros baixos levam os investidores a buscar diferentes formas de aplicar dinheiro, incluindo imóveis e investimentos no exterior. “Se o objetivo do investidor é manter reserva de emergência, ele deve apostar em renda fixa, mas se ele quiser fazer crescer seu patrimônio, ele precisa ir para a renda variável, que são ações, fundos imobiliários e até mesmo imóvel”, sugeriu.

Maurício Vono diz que investir fora do Brasil também é uma boa opção nesta época para os mais endinheirados, mas não deve ser a principal opção. “Assim como tem brasileiro mandando dinheiro para fora, tem muito estrangeiro trazendo dinheiro para o Brasil. Ainda que no Brasil haja um cenário político um pouco incerto, temos muitas oportunidades para crescer patrimônio. Acredito que o brasileiro não deva fugir de investir no Brasil ou pensar que tem que investir só lá fora. Investir lá fora é interessante, mas como proposta de diversificação”, sugeriu o economista.

ABC Digital