Dia D de Vacinação contra influenza e sarampo será promovido neste sábado

A expectativa é vacinar ao menos 95% do grupo prioritário. A campanha é realizada em 965 pontos em todo o estado

Sábado (30) é o Dia D de vacinação contra influenza e sarampo. O objetivo é atingir 95% dos grupos prioritários nos 246 municípios goianos. Os postos vão funcionar das 8h às 17h para receber crianças de seis meses a menores de cinco anos de idade, idosos e adultos dos grupos prioritários. As vacinas contra sarampo e influenza podem ser tomadas simultaneamente. Durante coletiva de imprensa, acompanhada pela reportagem do Jornal Brasil Central Edição da Noite desta sexta-feira (29), a equipe da Secretaria Estadual da Saúde explicou como irá funcionar o Dia D. "O grande objetivo da campanha de vacinação é evitar casos graves, evitar internação e evitar óbitos", explicou o Secretário Estadual da Saúde, Sandro Rodrigues.

A campanha nacional começou no início de abril e a cobertura vacinal ainda é reduzida. Para a superintendente de Vigilância em Saúde, Fúlvia Amorim, a pandemia contribuiu para a baixa cobertura. Ela também reforçou comentou a importância de manter a imunização em dia. “A vacina que a gente está aplicando agora tem uma cepa nova, que é a H3N2, que causou muitos casos em dezembro e janeiro. E, nesta vacina, ela já está atualizada. Mesmo quem tomou vacina conta a gripe o ano passado ou tomou em janeiro e fevereiro deste ano precisa atualizar essa vacinação”, ressaltou.

Grupos prioritários

Os grupos prioritários que serão imunizados contra a influenza neste Dia D são idosos, trabalhadores da saúde, gestantes e puérperas, crianças de seis meses a menores de 5 anos, professores, indígenas, pessoas com comorbidades e deficiência permanente, integrantes das Forças Armadas, caminhoneiros, trabalhadores do transporte coletivo, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, dentre outros. Dentro do grupo de comorbidades, estão os imunossuprimidos, que precisam apresentar qualquer comprovante, como receita e relatório médico para serem vacinados. Já no caso do sarampo, além dos trabalhadores da saúde, passam a ser vacinadas também as crianças de seis meses a menores de 5 anos.

ABC Digital
 

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.