Descentralização do atendimento de saúde em Goiás já é realidade

Em pouco mais de três anos, o número de hospitais da rede estadual de Goiás passou de 20 para 30 unidades, a maioria construída e ou instalada no interior do Estado

A segunda reportagem da série Avanço Saúde, veiculada nesta terça-feira (12) no radiotelejornal O Mundo em Sua Casa, dos veículos da Brasil Central, mostrou como o atual governo de Goiás realiza a descentralização do atendimento de saúde, com investimento em novos hospitais e na expansão das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), na busca de interiorizar o atendimento. Em 2018, a rede assistencial própria de saúde do governo do Estado tinha 20 hospitais centralizados na região metropolitana de Goiânia, hoje já conta com 30 unidades, que foram espalhadas para atendimento da população de todas as regiões goianas.

Ouvido, o governador Ronaldo Caiado disse que “Goiás só tinha UTIs públicas em Goiânia, Anápolis e Aparecida. Então nós expandimos a rede de UTIs públicas em Goiás em 23 municípios”. Em pouco mais de três anos, o número de UTIs subiu de 254 para mais de 800 leitos, para adulto, pediátrico, neonatal e Covid-19 nas cinco macrorregiões, em unidades próprias ou conveniadas. O atual governo já entregou cinco hospitais: em Jataí, Formosa, São Luís de Montes Belos, Luziânia e Itumbiara, além de inaugurar o Hospital Estadual do Centro-Norte, em Uruaçu, e entregou também o Hospital da Criança e do Adolescente e o da Mulher, ambos na capital.

A reportagem mostrou que está em andamento a construção do hospital de Águas Lindas, no Entorno do Distrito Federal, iniciado em 2007 e que teve as obras paralisadas em 2018. Recentemente, a Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra) assumiu a construção. O presidente da Goinfra, Pedro Sales, visitou a obra e disse que o gesto sinalizava para a população “que muito em breve vamos ter aqui a conclusão dela para atendimento médico e todo redesenho do atendimento de atenção à saúde no Entorno do Distrito Federal, graças a esse hospital”. Lá serão investidos mais R$ 87 milhões e a construção conta com 200 profissionais trabalhando de segunda a domingo para concluí-la com rapidez. A população de Águas Lindas de Goiás ouvida pela reportagem elogiou a obra e disse que ela vai atender a população local que não precisará mais se deslocar até Brasília em busca de atendimento.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.