De perfil conservador, Gabriela Rodart fala como será sua estreia na Câmara Municipal de Goiânia

Nova vereadora se diz católica, conservadora e de direita; ela adiantou como pretende atuar na Câmara Municipal e sobre sua posição contrária ao uso da máscara

Católica, conservadora e de direita. É assim que se autodescreve a vereadora eleita para a Câmara de Goiânia, Gabriela Rodart (DC). Em entrevista ao programa O Mundo em sua Casa, das rádios Brasil Central AM e RBC FM nesta terça-feira, 12, ela falou como será sua estreia como parlamentar municipal da capital.

Gabriela comentou a polêmica na qual se envolveu, ao se posicionar contra o uso obrigatório de máscara como forma de prevenção da Covid-19, na Câmara Municipal de Goiânia. Ela prometeu apresentar estudos comprovando sua posição.

Independente

Eleita para o primeiro mandato, com 3.476 votos, Gabriela Rodart tem 24 anos, é representante da Região Noroeste de Goiânia, filha de empreendedores do ramo do comércio. “Vou trabalhar, não pensando na questão de gênero, mas na dignidade humana”, afirmou. Ela disse que teve muito mais votos de eleitores homens do que de mulheres. Adiantou que, em relação ao prefeito, terá “uma postura independente, porém sensata”.

“Minha atuação deverá ser de um mandato combativo, vou levar as demandas do povo para a Câmara Municipal”, afirmou a vereadora eleita. Ela citou os primeiros projetos que pretende apresentar, entre eles, um propondo a revogação do uso obrigatório de máscara, e outro instituindo parcerias-privadas para a construção de banheiros “dignos” em praças onde atuam os feirantes. Também citou a criação de espaços específicos para motoboys entregadores de comida de aplicativos.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.