CRER realiza mutirão contra a escoliose

O mutirão é exclusivo a pacientes regulados no SUS e deve atender 20 pessoas com escoliose que foram previamente cadastradas

Esta semana o CRER (Centro Estadual de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo) está realizando o Mutirão de Cirurgias de escoliose, doença que provoca deformidades na coluna vertebral e pode atingir outros órgãos do corpo humano. No mutirão, que recebe médicos de todo o país, há a perspectiva de serem realizadas 20 cirurgias de pacientes que foram regulados pelo SUS e passaram por uma triagem no mês de outubro. Matéria veiculada no O Mundo em sua Casa desta quarta-feira (7) trouxe detalhes importantes sobre a doença e o mutirão.

Um dos médicos ouvidos pela reportagem, Murilo Daher, informou que são cirurgias filantrópicas, onde um grupo de médicos vem e opera os pacientes que estão na fila do SUS. “O CRER é um dos principais hospitais do país que realizam esse procedimento. É uma cirurgia cara, que precisa de uns implantes, serviços de UTI, imagem, serviços de eletroestimulação, são cirurgias de alta complexidade e que poucos centros fazem”, afirmou, acrescentando que ela é uma deformidade da coluna vertebral, que acomete principalmente crianças e adolescentes e o tipo mais comum é a escoliose diopática, em pessoas que não têm nenhuma outra doença.

A matéria informou que existe uma parceria com o projeto Mude a Curva, organização sem fins lucrativos fundada por seis cirurgiões de coluna que têm o objetivo de operar pacientes de todo o país com deformidades vertebrais. Iasmin, paciente entrevistada, disse estar muito feliz que se dispôs a fazer a cirurgia para melhorar a postura, a saúde, e a aparência, observando que depois vai para a fisioterapia e quer fazer esportes como o vôlei e natação.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.