Corpo de Bombeiros orienta motorista a não atravessar fumaça na rodovia devido à baixa visibilidade na pista

Tenente Thiago Rodrigues, da Operação Cerrado Vivo, recomendou cuidado redobrado, ao comentar na RBC o grave acidente ocorrido na BR-277, no Paraná; falou também sobre o uso de tecnologia para combater os incêndios florestais

“Nunca adentre a fumaça, não atravesse, você nunca sabe o que tem na frente, a visibilidade fica totalmente comprometida (na pista)”. Estas foram as principais orientações do oficial de Informações Públicas da Operação Cerrado Vivo do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO), tenente Thiago Rodrigues. Elas foram repassadas durante entrevista concedida por ele nesta terça-feira, 4, ao programa O Mundo em sua Casa das rádios Brasil Central AM e RBC FM.

O tenente do CBMGO fez o alerta ao comentar o grave acidente rodoviário ocorrido no fim da noite do último domingo na BR-277, em São José dos Pinhais (PR), que deixou um saldo de 8 mortos e mais de 20 feridos. Testemunhas relataram a ocorrência de queimada perto da rodovia e baixa visibilidade devido à fumaça. Esta edição do radiojornal foi apresentada por Marcelo Cabral e Paulo Henrique Santos.

Lugar seguro

Conforme o tenente Thiago, ao avistar uma fumaça à frente quando estiver trafegando em uma rodovia, o motorista deve parar imediatamente, fora da rodovia, num lugar seguro. Em seguida, deve avisar as autoridades competentes, tais como a Polícia Rodoviária Federal (fone 191), ou Polícia Militar no caso de Goiás (190), e também o Corpo de Bombeiros (193), para resolver a questão do incêndio.

“Somente quando a fumaça passar naquela rodovia e melhorar a visibilidade (da pista) é que o motorista poderá realmente continuar a viagem. Minha orientação é: jamais adentre a fumaça, pois pode ser uma tragédia anunciada”, salientou.

Tecnologia

O oficial da Operação Cerrado Vivo falou ainda sobre o uso da tecnologia no combate a focos de incêndios florestais em Goiás. O Corpo de Bombeiros está trabalhando com drones por videomonitoramento. Citou que o Parque Estadual Altamiro de Moura Pacheco, próximo de Goiânia, tem uma equipe dos bombeiros postada diuturnamente, sete dias na semana, para verificar possíveis focos de incêndio. Havendo o foco, mais equipes dos bombeiros são acionadas para atuar imediatamente no local.

A Operação Cerrado Vivo possui também uma Sala de Situação, na qual são monitorados os focos de incêndio detectados pelo satélite do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Uma equipe do Corpo de Bombeiros monitora esses focos de incêndio praticamente em tempo real. Ele exemplificou que, se for verificado um foco na unidade de conservação próxima a Aruanã, o pessoal da Sala de Situação entra em contato direto com a unidade operacional (dos bombeiros militares) da cidade, repassa as coordenadas geográficas exatas de onde está ocorrendo, para que a equipe se desloque rapidamente com o propósito de realizar o trabalho de combate.

Proibido queimada

Conforme o tenente Thiago, decreto federal em vigor proíbe a prática de queimadas pelo período de 120 dias. “Nossa orientação é que a população jamais ateie fogo na vegetação e em lote baldio, seja na rua ou no quintal, isso é crime de poluição”, destacou. 

Nas rodovias, pediu aos motoristas que não joguem para fora dos veículos tocos de cigarro e cacos de vidro, pois esses simples atos podem provocar incêndios florestais. Lembrou que o cidadão que for flagrado ateando fogo na vegetação poderá ser encaminhado a uma delegacia e responder a processo por crime ambiental.

ABC Digital