Cinquentenário do Comunicasom é lembrado no Boa Noite Goiás

Festival de música marcou época há 50 anos em Goiânia

O programa Boa Noite especial de domingo, apresentado por Paulo Beringhs, foi marcado ontem por uma celebração musical. Beringhs recebeu na edição gravada em sua casa os jornalistas Arthur Rezende e Lorimá Dionísio, idealizadores e produtores do festival Comunicasom, evento musical que marcou época na capital nos anos 70 e 80.

Criado em 1971, o festival agitou a juventude colegial da capital e trouxe grandes artistas à cidade. Segundo Arthur Rezende, o mote foi a era dos festivais, que eram moda insuflada pelos canais de televisão. “A TV Anhanguera gravava as finais e veiculava aos domingos em sua programação”, relembra o veterano jornalista do rádio, tevê e jornais.

Segundo Lorimá Dionísio, também músico que integrava o então badalado grupo Esquema 5, o Comunicasom foi uma influência para muita gente, já que reunia grandes artistas tanto no palco como na banca de jurados, a maioria vinda do Rio de Janeiro e São Paulo.

Famosos

Ele e Arthur Rezende lembram na conversa alguns dos famosos que estiveram no evento: Ivan Lins, Roberto e Erasmo Carlos, Oswaldo Montenegro, Fagner e os atores Paulo Goulart, Regina Duarte e Lucinha Lins, entre muitos outros. “Zezé Di Camargo concorreu uma vez no festival, mas não ganhou”, recorda Mazinho.

O palco do evento era o antigo Cine Goiânia, onde hoje funciona o Teatro Goiânia. Para acompanhar as apresentações, os produtores contavam com a banda de música da Polícia Militar. Os colégios organizavam suas turmas de alunos para participar. O Comunicasom durou de 1971 a 1985 e terminou, segundo Rezende e Dionísio, por terem cumprido um ciclo importante na vida cultural de Goiânia.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.