Campanha Setembro Verde incentiva doação de órgãos

Gerente da Secretaria Estadual de Saúde, Katiuscia Freitas disse no TBC 1 que a campanha mira a conversa em família sobre o assunto

A gerente da Central de Transplantes da Secretaria Estadual de Saúde, Katiuscia Freitas, e a apresentadora Michelle Bouson, nos estúdios da TBC

O número de doadores de órgãos no Brasil é historicamente baixo e em épocas de pandemia como agora, esse quadro piora. No último trimestre a queda nacional de doações foi de 26%, segundo Katiuscia Freitas, gerente da Central de Transplantes da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Ela foi convidada nesta sexta-feira, 4, a falar no telejornal TBC 1 da TV Brasil Central sobre a campanha Setembro Verde, que busca incentivar a doação de órgãos. Katiuscia conversou com a apresentadora Michelle Bouson e disse que o foco da campanha são as famílias, já que são elas que definem a doação no momento da perda de um ente familiar.

“Por isso que é muito importante que as pessoas comuniquem às suas famílias o desejo de ser doador, porque só a família toma a decisão da doação”, disse a gerente da SES acrescentando que mais da metade das famílias (57%) se recusam a fazer a doação de órgãos alegando, entre outras coisas, não saber se esse era o desejo da pessoa.

Segundo ela, a doação é prevista em casos de morte encefálica, ocorrida por acidente de trânsito, AVC (Acidente Vascular Cerebral) e outras causas. Há também os casos de morte por problemas no coração em que é possível a doação de tecidos, como córnea. Para ambos os casos, é fundamental que a pessoa manifeste em vida o desejo de ser um doador.

Confira a entrevista completa:

ABC Digital