Campanha de vacinação antirrábica será diferenciada este ano

Coordenador de Zoonose da Saúde disse à RBC que, devido à pandemia da Covid-19, dessa vez não será realizado no Estado o Dia D, aquele dia único de vacinação de cães e gatos

A Prefeitura de Goiânia começa nesta segunda-feira, 14, a Campanha de Vacinação Antirrábica para Cães e Gatos, que prosseguirá até o dia 11 de dezembro. O coordenador de Zoonoses da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Fabrício Augusto de Sousa, afirmou hoje que, devido à pandemia da Covid-19, este ano não vai ter o Dia D, aquele dia único de vacinação contra raiva para esses animais, como ocorreu em anos anteriores.

“A campanha este ano vai se alongar em um período maior, onde cada um dos 246 municípios goianos vai poder definir a sua estratégia de vacinação”, explicou Fabrício durante entrevista concedida ao programa O Mundo em sua Casa das rádios Brasil Central AM e RBC FM. O radiojornal foi comandado por Paulo Henrique Santos e Roberto Cândido.

No caso da capital, por exemplo, a vacinação será realizada de forma distrital, utilizando tanto o sistema de drive-thru quanto a estratégia de postos de vacinação fixos em dias alternados, informou o coordenador da SES.

Cães e gatos

Segundo ele, a campanha preconiza a vacinação exclusiva de cães e gatos. Todos os animais acima de três meses de idade devem ser imunizados. Acrescentou que Goiás recebeu do Ministério da Saúde um quantitativo de 1,350 milhão de doses da vacina antirrábica. Esse total é considerado suficiente para atender a demanda.

“A meta é imunizar no Estado 1,247 milhão de animais, entre cães e gatos, então a gente tem uma reserva estratégica de mais de 100 mil doses”, informou. Lembrou que a campanha visa erradicar a raiva humana em Goiás, por isso é tão importante imunizar aqueles cães e gatos mais próximos.

Último caso

Conforme Fabrício, o último caso de raiva humana, transmitida pela variante 2 que é do cão, foi registrado em território goiano há 19 anos. E se hoje vivemos essa situação, foi graças às campanhas anteriores e, principalmente, à colaboração da população.

Entretanto, em tempo de pandemia, destacou que a pessoa deve tomar alguns cuidados na hora de levar o animal ao posto de vacinação do seu bairro, na data marcada. Deve ir usando máscara facial e buscar conter o animal, recomendou. Se ele for bravo, que seja feito o uso de focinheira, caso o dono a tenha. “Mas que se mantenham todos os cuidados, tanto na questão da Covid quanto na questão de ser agredido pelo animal”, enfatizou.

Vacina em casa

Questionado se seria permitido levar a vacina para aplicar no animal em casa, ponderou que a Secretaria de Estado da Saúde não recomenda isso, pois assim não há a certeza de que ele foi, de fato, imunizado. Admitiu que algumas pessoas insistem nesse pedido, mas caso fossem atendidas ficaria essa incerteza.

Afirmou que, para aqueles que possuem muitos animais ou têm dificuldade de se locomover com o bicho, a recomendação é que entrem em contato com a Secretaria da Saúde de seu município e tentem agendar a vacinação em domicílio.

No TBC 1

O telejornal TBC 1 de hoje também falou sobre as novidades da campanha de vacinação antirrábica deste ano. Confira a matéria:

ABC Digital