Caiado articula e impede reajuste da tarifa do transporte coletivo no Entorno do DF

Governador se reuniu com o ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, e a governadora interina do DF, Celina Leão, e sugeriu a criação de um consórcio interfederativo

Um reajuste inesperado de 40% na tarifa do transporte coletivo na região do Entorno do Distrito Federal, que abrange várias cidades de Goiás, levou o governador Ronaldo Caiado a pedir e receber a atenção do ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, e nesta quinta-feira (23), com a participação da governadora em exercício do DF, Celina Leão, articulou para reter o reajuste. Caiado argumentou ser inconcebível um aumento de tarifa nessa proporção, observando que desde que assumiu o governo a tarifa do transporte coletivo na região metropolitana de Goiás nunca teve aumento. Ele sugeriu ao ministro Padilha a criação de um consórcio entre Goiás, DF e a União, uma pauta que foi levada ao presidente da república, Luiz Inácio Lula da Silva, dia 27 de janeiro, quando da reunião com todos os governadores. As outras pautas são a construção do hospital do câncer em Goiás e a irrigação do vão do Paranã, em Flores de Goiás, região Nordeste do estado, para a fruticultura. A articulação do governador Ronaldo Caiado deu resultado, pois a ANTT já suspendeu o reajuste na tarifa que estava previsto para o transporte coletivo do Entorno do Distrito Federal (DF). O Jornal Brasil Central cobriu a pauta e informou em primeira mão.

Acompanhado pelo vice-governador Daniel Vilela, Caiado transmitiu que houve boa receptividade a sua proposta, tanto que a ANTT barrou o reajuste, porque, segundo ele, não é possível que haja um aumento de 40% no preço da tarifa. “Não é possível isso, as pessoas não suportam. Como a pessoa vai sobreviver? Por isso estamos aqui hoje buscando o apoio da União, compartilhando essa decisão com o governo do Distrito Federal e nós assumirmos esse consórcio interfederativo para resolver a vida das milhares pessoas que são obrigadas a chegar aqui todo dia e retornarem às suas casas no fim do dia”, afirmou, acrescentando que é impossível a uma pessoa pagar R$ 10,00 de Brasília para Planaltina e mais R$ 10,00 para voltar. “Como governador de Goiás, desde que assumi o governo a tarifa da região metropolitana de Goiânia nunca mudou, o bilhete sempre foi de R$ 4,30. Nós pagamos um diferencial para que não sobrecarregue o bolso do cidadão”, assinalou.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.