Cai área afetada por incêndios nas unidades estaduais de preservação ambiental

Monitor de Queimadas, criado pela Semad, contribui para que combate aos focos de incêndio seja mais rápido e eficiente

A área queimada por incêndios florestais em unidades de conservação de Goiás registrou redução de 80% este ano, na comparação com o verificado em 2021, de acordo com reportagem veiculada no programa O Mundo em sua Casa nesta sexta-feira, 14. Para ajudar a combater os focos de incêndio no Estado, os bombeiros contam atualmente com o apoio da tecnologia do Monitor de Queimadas, que detecta pequenos focos de incêndio em unidades de conservação.

Segundo o coordenador da Operação Cerrado Vivo do Corpo de Bombeiros, capitão Jonathan Alves, o Monitor de Queimadas criado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) avisa os brigadistas, por meio do registro de imagens de satélite, para que eles realizem o combate a focos de incêndio de forma mais rápida. “Quando há a necessidade de um suporte em grandes incêndios dentro dessas unidades, nós do Corpo de Bombeiros, em parceria com eles, atuamos para resolver essa situação”, completou.

A conscientização da população também é importante, já que quase 100% das ocorrências de incêndios florestais são em decorrência das ações humanas. Por isso, o Governo de Goiás, por meio da Semad e do Corpo de Bombeiros, tem trabalhado na prevenção e na proteção das unidades de conservação. Também contribuem para a redução das queimadas as ações preventivas e as respostas rápidas por parte das brigadas de combate a incêndios. Em 2022, a Brigada já realizou 78 combates no interior e nas regiões em torno das unidades estaduais de conservação, totalizando mais 718 horas de trabalho.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.