Boa Noite Goiás aborda trabalho da Polícia Civil e recuperação do turismo goiano

Delegado-geral destaca ações da Polícia Civil e resultados em favor da sociedade; já o presidente da Goiás Turismo falou sobre as dificuldades enfrentadas pelo setor de turismo e perspectivas para os próximos anos

O delegado-geral de Polícia Civil, Alexandre Pinto Lourenço, apresentou balanço positivo do trabalho realizado pela corporação, principalmente na redução dos índices de criminalidade, na elucidação rápida de crimes e em ações de combate à corrupção, cujos resultados beneficiam toda a sociedade, o que fica evidenciado pelo sentimento de segurança muito mais elevado do que dois anos atrás.

Entrevistado no programa Boa Noite Goiás, Alexandre Lourenço ressaltou que o governador Ronaldo Caiado deu plenas condições de trabalho à Polícia Civil, sem nenhuma amarra política ou ideológica, com liberdade plena para investigar e apurar todos os casos e apresentar os resultados à população. “Posso garantir que a Polícia Civil evoluiu substancialmente nos dois últimos anos e atua em nível bem mais elevado, consolidando como rotina a cultura da investigação. Prova disso são as ações de combate à corrupção, com recuperação de recursos que são usados na educação, rodovias e outras áreas prioritárias do Governo”, disse.

Indagado sobre a citação de uma delegada da Polícia Civil em reportagem do Fantástico sobre o caso do Padre Robson, de Trindade, com indícios de favorecimento, o delegado-geral da Polícia Civil disse que a questão está sendo tratada com muita cautela e observância de todos os parâmetros legais. “O que temos até agora são informações escassas, fragmentadas, muitas delas fora de contexto, em um processo conduzido pelo Ministério Público”, explicou Alexandre Lourenço. Ele admitiu que a situação é grave mas será conduzida com muita lisura, sem pré-julgamentos ou acusações, até chegar ao fim, sendo que os resultados serão mostrados à sociedade.

Turismo

O presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, também participou do programa Boa Noite Goiás na quarta-feira, 24, ocasião em que abordou as dificuldades enfrentadas pelo segmento do turismo e falou das perspectivas nos próximos anos. Ele asseverou que o turismo é sem dúvida o setor mais afetado em todo o mundo pela pandemia do novo coronavírus, uma vez que praticamente paralisou as atividades de transporte aéreo e terrestre, rede hoteleira, restaurantes e bares e muitos outras atividades ligadas ao turismo.

Em relação a Goiás, Fabrício Amaral apontou grandes prejuízos, pela suspensão do turismo de eventos como congressos, shows, feiras agropecuárias, que não têm previsão de retorno, bem como turismo religioso (Trindade, Pirenópolis, Goiás, etc) também fortemente afetado. E ainda o polo de modas da 44, que tem relação com o turismo de negócios, que sofreu muito em 2020 e também neste ano. O que ainda prevalece é o turismo natureza (águas termais, rios, lagos, cachoeiras, grutas e outros), mas ainda assim com muitas restrições, como frequência controlada de pessoas e adoção de protocolos sanitários.

“A volta integral das atividades do turismo só vai ocorrer após a vacinação em massa”, afirmou Fabrício Amaral. Ele revelou também que avaliações feitas por entidades nacionais do segmento do turismo indicam que a retomada da atividade em nível regional só deve ocorrer em 2022 e no âmbito internacional apenas em 2024. O dirigente da Goiás Turismo reforçou que o Governo de Goiás tem se empenhado em socorrer o setor de turismo, com ações que levam em conta as peculiaridades de cada região e de cada município. Contudo, previu que o segmento ainda vai sofrer as consequências da pandemia por mais tempo.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.