Balança comercial goiana registra saldo recorde no 1º bimestre do ano

A diferença entre exportações e importações no período foi positiva em US$ 610 milhões; as commodities foram as principais responsáveis pelo resultado

Clique na imagem para assistir a matéria

Goiás registrou saldo positivo recorde na balança comercial no primeiro bimestre de 2022. No período, a diferença entre as exportações e as importações goianas foi de US$ 610 milhões, o que representa salto de 456% na comparação com os dois primeiros meses de 2021. Foram efetuados US$ 1,580 bilhão em exportações, resultado que também é recorde no período. Já as importações somaram US$ 975,3 milhões.

Segundo Joel Sant’Anna, isso gera novos empregos, trazendo investimento e crescimento para o Estado. Para Maykon Mattos, diretor de uma empresa goiana de medicamentos que exporta para outros países, foi percebida melhora no ambiente macroeconômico para exportação, de setembro/outubro do ano passado para cá, até por ser pós-pandemia”. A expectativa na empresa é de otimismo e retomada.

Municípios exportadores

Os municípios goianos que mais enviaram produtos para outros países no primeiro bimestre de 2022 foram: Luziânia, Jataí, Barro Alto, Luziânia e Rio Verde. Os principais compradores foram a China, Estados Unidos, Holanda, Japão e Índia. Com isso, Goiás ocupa o décimo lugar no ranking brasileiro de exportação e o 12º de importação.

As commodities foram as principais responsáveis pelo resultado. O complexo soja liderou com 42,4% do total das exportações de Goiás, vindo em seguida as carnes, ferroligas, ouro, sulfeto de cobre e o complexo do milho. O governador Ronaldo Caiado destacou que Goiás já é o quarto maior produtor de grãos do País, outro indicador econômico positivo. “Goiás hoje cresce num ritmo acelerado”, afirmou.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.