Atuação do Sebrae-Goiás e vacinação contra Covid-19 foram temas do Boa Noite Goiás

Diretor-superintendente Antônio Carlos de Lima Neto discorreu sobre o apoio às pequenas empresas para superação da crise. Já a médica Moara Borges esclareceu dúvidas sobre vacinação de pessoas com comorbidades

Dois temas distintos, mas que estão intimamente ligados, foram abordados no programa Boa Noite Goiás na noite de quinta-feira, 6. Um deles sobre a vacinação contra Covid-19 e o outro sobre o apoio do Sebrae-Goiás aos pequenos negócios, considerando que a retomada da economia depende das boas condições de saúde da população. O diretor-superintendente do Sebrae-Goiás, Antônio Carlos de Souza Lima Neto, enfatizou que a retomada dos negócios, especialmente pelas micro e pequenas empresas, é de fundamental importância, mas os cuidados com a saúde das pessoas neste momento é prioridade absoluta.

“O Sebrae-Goiás desenvolve um grande trabalho de apoio aos pequenos negócios, mesmo neste período de pandemia, tanto com ações presenciais quanto virtuais”, explicou Antônio Carlos. Ele informou que um dos principais programas é o Sebrae na Sua Empresa, pelo qual os pequenos empreendedores podem pedir apoio e os consultores da entidade fazem atendimento on line ou se deslocam até às empresas, sem custo para os empresários, avaliam o quadro e ajudam a buscar soluções, inclusive para a tomada de empréstimos. Além disso, o Sebrae oferece treinamentos, capacitações, consultorias e muitas outras formas de apoio.

Antônio Carlos destacou também a realização da Semana do MEI (Microempreendedor Individual), que vai ocorrer de 10 a 14 deste mês, em meio eletrônico. Conforme disse, em Goiás estão formalizados mais de 415 mil MEIs, segmento que gera milhares de empregos. A programação inclui oficinas de empreendedorismo, diagnósticos, soluções tecnológicas, fontes de financiamento, consultorias, capacitações e outros temas. “Tenho convicção que, em parceria com órgãos do Governo Estadual e união do empresariado, vamos superar essa fase difícil”, acentuou o diretor, ressaltando que Goiás já dá mostras disso, com saldo de mais de 39 mil empregos formais de janeiro a março e ritmo acelerado de abertura de novas empresas.

Esclarecimentos

A médica infectologista Moara Santa Bárbara Borges, que é também professora da Faculdade de Medicina da UFG, fez muitos esclarecimentos sobre a vacinação contra a Covid-19, que no momento abrange pessoas com comorbidades. A maior dúvida é quem já pode e quem não pode vacinar. Ela explicou que todas as pessoas portadoras das comorbidades listadas pelo Ministério da Saúde deverão receber a vacina. Porém, nesta primeira etapa são atendidas as pessoas com comorbidades a partir de 55 anos. Na sequência virão outros grupos.

Moara Borges respondeu a diversos questionamentos sobre doenças específicas, idade e gravidade de problemas. Conforme disse, cada caso precisa ser analisado individualmente pelo médico que vai fornecer o documento comprobatório da doença. Ela citou, por exemplo, doenças físicas e neurológicas, doenças psiquiátricas e autistas, que não foram incluídas neta primeira etapa a não ser que tenham acima de 55 anos. Moara Borges enfatizou que a expansão da vacinação para outros grupos vai depender da disponibilidade de vacinas. “A vacina é a estratégia usada pelo mundo inteiro nas ocorrências de pandemias e grandes catástrofes sanitárias. É preciso tomar a primeira e a segunda doses do mesmo tipo de imunizante”, concluiu ela.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.