Anvisa libera venda de vermífugos sem retenção de receita médica

A presidente do Conselho Regional de Farmácia de Goiás, Lorena Baia, e a apresentadora Michelle Bouson, nos estúdios da TBC

Presidente do Conselho Regional de Farmácia, Lorena Baia disse no TBC 1 que os remédios seguem sem comprovação científica contra a Covid-19

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu na última terça-feira, 1º de setembro, a necessidade de o consumidor deixar a receita médica na farmácia quando for comprar vermífugos como a ivermectina e nitazoxanida. Esses medicamentos vêm sendo usados como prevenção contra o coronavírus, mesmo sem comprovação científica de seus efeitos sobre a doença.

Para comentar o assunto, o TBC 1 recebeu nesta quinta-feira, 3, por videochamada, a presidente do Conselho Regional de Farmácia de Goiás, Lorena Baia. Ela conversou com a apresentadora Michelle Bouson e disse que os medicamentos já foram testados em diversos estudos como antivirais para coronavírus, mas nenhuma apresentou resultados satisfatórios até o momento.

“Esses medicamentos têm como efeito adverso náuseas, vômitos e dores abdominais; e para pacientes que apresentam sintomas graves de Covid, a ivermectina, por exemplo, pode até causar danos ao sistema nervoso central”, advertiu a farmacêutica. Ela ressaltou ainda que a decisão da Anvisa não elimina a necessidade da receita médica para a compra dos medicamentos, mas apenas evita a retenção da prescrição.

Confira a entrevista completa:

ABC Digital