ABC reforça cuidados contra a Covid-19

Além das precauções básicas, a Agência articula compra e realização de exames para os servidores

Com a pandemia da Covid-19, o modo de trabalhar foi modificado, mas a busca pela verdade continua a mesma. Essencial para informar a população, o jornalismo ganhou destaque na luta contra as Fake News e a favor da divulgação de fatos que ajudam a sociedade a combater o coronavírus e conhecer tudo o que afeta seu cotidiano. Por isso, a Agência Brasil Central (ABC) tem tomado todas as precauções para a proteção de seus servidores, sem deixar de lado o trabalho importante que deve ser desenvolvido pelos seus veículos de comunicação. 

Todas as pessoas que frequentam a ABC, entre funcionários e convidados, são orientadas a higienizar as mãos, usar máscaras e manter o distanciamento necessário para coibir a proliferação do vírus. Potes com álcool em gel estão estrategicamente distribuídos pelo espaço físico da agência e são reabastecidos constantemente. Além disso, os ambientes são higienizados diariamente e, para ter acesso a eles, todos precisam antes aferir a temperatura corporal. 

No entanto, o contato diário com a notícia pode colocar o jornalista em risco. Na última semana, quatro funcionários da ABC foram diagnosticados com a Covid-19. “Imediatamente, quando soubemos dos casos suspeitos, já afastamos essas pessoas para que pudessem manter o isolamento e preservar a saúde dos outros servidores da agência”, afirmou o diretor de teleradiodifusão da ABC, Rafael Vasconcelos. Ele ressaltou que a orientação a todos é que avisem quando houver suspeita de terem contraído a doença, para que todos os protocolos de segurança sejam cumpridos, com o devido rigor. 

Para manter a segurança dentro da ABC, a presidência da Agência está em processo de viabilização da testagem dos servidores. “Estamos atuando em quatro frentes, juntos às secretarias de saúde estadual e municipal, através do aplicativo Dados do Bem e também abrimos um processo de compra direta de testes para serem feitos aqui na Brasil Central”, elencou o presidente da ABC, Reginaldo Júnior, acrescentando que esses testes são do tipo RT PCR, considerados mais seguros para detectar a presença do vírus. 

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.