A Prefeitura de Goiânia está aberta ao diálogo, garante secretário municipal da Comunicação à RBC

Conforme Vassil Oliveira, outros segmentos podem ser autorizados a reabrir, desde que cumpram protocolos de segurança sanitária firmados com a Saúde

O secretário municipal de Comunicação de Goiânia, Vassil Oliveira, disse nesta segunda-feira, 1º de junho, durante entrevista concedida ao radiojornal O Mundo em Sua Casa, que a Prefeitura da capital está ouvindo e dialogando com representantes de segmentos econômicos que solicitam a retomada das atividades. Entretanto, qualquer decisão só será tomada se houver as condições (sanitárias) necessárias, esclareceu.

A entrevista foi feita pelos apresentadores das rádios Brasil Central AM e RBC FM, Ernesto Fleury e Luzeni Gomes. Hoje voltaram a funcionar em Goiânia os mercados e as imobiliárias, assim como os clubes de futebol tiveram autorizados os treinos dos jogadores. Vassil explicou que o processo é simples: (os representantes) dos segmentos têm procurado a Prefeitura de Goiânia, apresentam suas reivindicações e o desejo de voltar a funcionar, apontam datas e mostram o que estão dispostos a fazer. Tudo é analisado como protocolos a serem seguidos.

Uma vez pactuado e desde que a Prefeitura entenda que a estrutura comporta o impacto que (a reabertura da atividade) possa gerar, e que os índices epidemiológicos (da Covid-19) permitam esse retorno do setor (ou setores), é feita abertura, com critério e com obediência às normas técnicas, como estabelece o decreto do governador Ronaldo Caiado, afirmou. “O prefeito Iris Rezende tem feito as ações e tomado decisões em consonância com o Governo do Estado”, garantiu.

Alertou, porém, que se os representantes dos segmentos econômicos não fizerem a parte deles, as empresas e a população não obedecerem (aos critérios estabelecidos), o fluxo (de pessoas) aumentar e os índices (de casos da Covid-19) piorarem, o prefeito de Goiânia, da mesma forma que está permitindo a abertura agora, imediatamente não teria o receio de fechar.

Fiscalização

Vassil reafirmou que a Prefeitura de Goiânia dispõe de estrutura de fiscalização para agir em toda a capital para fazer valer o cumprimento dos decretos estadual e municipais que tratam do enfrentamento da Covid-19. Citou que já houve dia em que foram feitas mais de 900 autuações na cidade, que vão de simples autuação até à interdição do estabelecimento. O valor da multa cobrada chega a R$ 60 mil e pode haver cassação do alvará. A população pode ajudar, utilizando os canais de denúncia, como o aplicativo Prefeitura 24 horas, os telefones, o site da Prefeitura e suas redes sociais.

Lembrou que a Prefeitura da capital fez uma pesquisa nos terminais de transporte coletivo, após o último decreto assinado pelo governador. Foi constatado que quase 50% das pessoas não precisariam estar nestes locais. “A consciência das pessoas é importante”, declarou. E ressaltou os cuidados básicos de prevenção à doença causada pelo novo coronavírus, como lavar as mãos sempre que puder, usar máscara facial e álcool em gel e manter o distanciamento social.

ABC Digital