HOME

INSTITUCIONAL

DIÁRIO OFICIAL

TV BRASIL CENTRAL

Notícia

Norte, Nordeste e Entorno do DF são as regiões goianas a serem priorizadas com os incentivos fiscais, defende Caiado
Publicado em: 2019-09-06 11:42:19

Em entrevista concedida ao programa Fala Goiás em Rede, das Rádios Brasil Central AM e RBC FM, na manhã desta sexta-feira, 6, o governador Ronaldo Caiado afirmou que as regiões goianas a serem priorizadas para a concessão de incentivos fiscais destinadas à instalação de empreendimentos produtivos no Estado são a Norte, Nordeste e Entorno do DF. Isso para que seja possível promover a redução das desigualdades regionais, tendo como consequências o desenvolvimento e a geração de empregos nestas regiões.

O Fala Goiás em Rede foi apresentado pelo radialista Josiel Meneses e retansmitido por 27 emissoras de rádio do interior. A afirmação do governador foi feita em resposta à pergunta da representante da TV Serra Azul de Porangatu, Sheilismar Ribeiro sobre geração de emprego no Norte Goiano. Ronaldo Caiado falou ainda que Goiás teve duas rotas turísticas incluídas em programa do Ministério do Turismo, o que ajuda a criar oportunidades de emprego. Citou Também o programa Goiás Empreendedor, do Governo do Estado, que oferece financiamentos a micro e pequenos empreendedores.

Ele falou ainda da concessão da Ferrovia Norte-Sul, do ramal transversal da ferrovia que cortará o Estado e da duplicação de 800 quilômetros da BR-153, que poderão contribuir para criar vagas no mercado de trabalho goiano. “O Estado, no momento, não pode ser o financiador de grandes obras”, ponderou. Mas lembrou que o Governo está investindo em parcerias para alavancar ainda mais a presença da iniciativa privada, com a consequente criação de empregos.

Queda na criminalidade

Sobre o combate à criminalidade, pergunta formulada pelo editor-chefe do jornal Diário do Norte, João Carvalho, o governador citou indicadores que comprovam os resultados obtidos no Estado nos primeiros oito meses deste ano. Entre eles, a redução do número de homicídios, latrocínios, furtos de carros e roubos de carga, além de 112 quadrilhas desbaratadas em Goiás. Falou ainda da atuação da Patrulha Rural com georreferenciamento.

“Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e agentes penitenciários estão atuando em um governo preocupado com o combate à corrupção e à criminalidade”, ressaltou. Caiado, contudo, disse que ainda há muito o que ser feito na área da segurança pública. E admitiu que há um déficit de delegados, porém a contratação desses servidores é dificultada pela lei que limita os gastos públicos.

Violência nas escolas do Entorno

O governador comentou o assassinato de um professor por um aluno em Águas Lindas de Goiás, ao responder o questionamento de Marcos Alexandre, do programa Imparcial da Cidade TV do município do Entorno do DF. Relatou que esteve com familiares da vítima e que o professor já se tinha dito que se sentia ameaçado. “Por que essa ameaça não foi informada à polícia?”, indagou Caiado. Ele pediu a professores e diretores de escolas que comuniquem às autoridades policiais casos de ameaça de alunos ou de narcotraficantes, para que sejam tomadas ações preventivas, já que é “impossível colocar um policial em cada escola”.

Energia e água

Marco Antônio, da Fonte TV, perguntou a Caiado sobre as questões da energia elétrica e do abastecimento de água na Região Metropolitana de Goiânia. Sobre o fornecimento de eletricidade, o governador disse que autuou fortemente junto à Enel, com o apoio do Ministério das Minas e Energia e da Aneel, para que a empresa ampliasse os investimentos em Goiás. “Era um gargalo”, salientou. A Enel assinou acordo com o Governo para reforçar seus investimentos no Estado visando garantir a oferta de energia para novos empreendimentos, medida que vai levar, de imediato, à contratação de 1.500 eletricistas.

Sobre a crise hídrica da Bacia do Rio Meia Ponte, que abastece a Região Metropolitana de Goiânia, o governador disse que iria se reunir com o Ministério Público para buscar ações que contemplem o abastecimento da população e atenda também os produtores rurais que têm outorga e necessitam de água para suas plantações, de forma que estes últimos não tenham prejuízo. “Temos de buscar outras bacias (hídricas) para abastecer Goiânia, Aparecida e Trindade”, afirmou.

Contas públicas estaduais

Em resposta à pergunta do editor-chefe do Diário da Manhã, Helton Lenine, Ronaldo Caiado falou sobre os números das dívidas herdadas das gestões anteriores: R$ 3,170 bilhões, sendo R$ 1,680 bilhão da folha de pagamento; e o restante em Bolsa Universitária, programas sociais, e obras entregues e não pagas com empenho. Somente na área da Saúde eram débitos de R$ 750 milhões, destacou, sem falar em atrasos de pagamentos na manutenção e conservação de estradas, de repasses da Saúde para os municípios, de honorários advocatícios dativos não pagos, e da merenda e transporte escolar.

“Estamos cortando na carne, promovendo grande economia, demitindo, controlando despesas e revendo contratos”, informou Ronaldo Caiado. Ele citou que só na revisão de dois contratos de Organizações Sociais (OS) foi possível aos cofres estaduais obter uma economia de R$ 10 milhões por mês. Falou ainda da suspensão da cobrança de registro de cartório, vistoria e emplacamento de veículo pelo Detran, medida que desonerou os cidadãos goianos. Outra medida é o projeto de lei que propõe a criação da carteira de motorista social, sem custo para as pessoas de baixa renda.

Campus Party

A respeito de indagação da repórter Kamylla Rodrigues da TV Brasil Central, o governador falou sobre o Campus Party, evento internacional de tecnologia e inovação que está sendo realizado pela primeira vez em Goiânia. Caiado esteve na última quinta-feira, 5, na abertura do evento, e adiantou que estará lá novamente neste sábado, 7. “Queremos que Goiás se torne o habitat da área de tecnologia e inovação”, salientou. E lembrou que o Estado aderiu recentemente à Rede Gov.br, pois o propósito é adotar a tecnologia em todos os órgãos estaduais para dar melhor qualidade e celeridade aos serviços prestados aos cidadãos.

Lei de Abuso de Autoridade

Em resposta à pergunta formulada pelo apresentador Josiel Meneses sobre sua opinião a respeito dos vetos do presidente Jair Bolsonaro à Lei de Abuso de Autoridade, Caiado destacou que esta lei “não pode ser impeditiva e restritiva para as autoridades no combate à corrupção”. Mas ponderou que, por outro lado, as autoridades precisam ter responsabilidade para “não destruir currículos”. E defendeu que o Poder Judiciário, Ministério Púbico e autoridades policiais devem ter maior colaboração no combate à criminalidade e maior rapidez no julgamento dos processos.

   

ABC- Agência Brasil Central. Rua SC-01, nº 299, Parque Santa Cruz, Goiânia - GO CEP: 74.860-270 Fone: (62) 3201-7600
© Copyright 2015. Todos os direitos reservados. Desenvolvido pela Agência Brasil Central.

Privado