Profissionais falam de sua experiência na Rádio Brasil Central

Seja no jornalismo, no entretenimento ou no esporte, muitas pessoas que trabalharam na emissora e dão depoimentos da experiência vivida nas ondas do rádio

Imagem dos 70 anos da Ràdio Brasil Central

Foram muitos os profissionais – radialistas, jornalistas, técnicos, entre outros – que trabalharam na Rádio Brasil Central ao longo destes 70 anos no ar. Alguns ainda permanecem na emissora, outros guardam lembranças de sua passagem pela rádio. 

Mas sempre há boas histórias para contar, como pai e filho (Alair de Paula e Daniel de Paula) que ainda estão no batente. Ou o apresentador do Fala Goiás em Rede, Josiel Meneses, que foi vereador por Aparecida de Goiânia, de 2003 a 2008. E ainda alguns dos integrantes de uma das equipes esportivas mais famosas do Brasil, o Escrete de Ouro. 

Para comemorar estas sete décadas da Rádio Brasil Central, nada melhor do que deixar que os próprios personagens dessa história deem seus depoimentos, como Alair de Paula e Daniel de Paula, pai e filho que são funcionários da casa:

Alair de Paula (produtor, trabalha no radiojornalismo) - “Ingressei na Rádio Brasil Central em 1986, portanto estou há 34 anos. Tive um sonho de trabalhar aqui, porque naquela época tinha a melhor equipe de esporte do rádio goiano e do Centro-Oeste. O Escrete de Ouro, comandado pelo Evandro Gomes. No elenco, Ledes Gonçalves, Amir Sabag, Carlos Alberto Sáfadi, Jurandir Santos, Luiz César do Amaral (Leleco), Caetano Begueli, Hugo Sérgio, Gonçalves Lima e Álvaro Maia. Com o Álvaro Maia e o Hugo Sérgio eu aprendi muito no rádio. Então, foi uma grande escola para mim. Foi aqui na Rádio Brasil Central que, em 1986, conquistei o maior título para minha carreira como locutor esportivo e como plantão esportivo. Fui escolhido, pelo Vasco Promoções, como o melhor plantão (esportivo) do ano de 1986.”

Daniel de Paula (apresentador do programa Show da Tarde) - Sou comunicador da Rádio Brasil Central, rádio que tenho orgulho de fazer parte do quadro de funcionários. Não me esqueço de vir aqui quando pequeno, passeando junto com meu pai. Quis o destino que anos depois eu viesse a trabalhar nessa emissora. Confesso que me sinto muito feliz toda vez que ouço o prefixo da rádio. É minha segunda casa, é um lugar que amo muito. “

Apresentador que virou vereador

Josiel Meneses (Apresentador do programa Fala Goiás em Rede) -“Minha história na emissora começou em 1977. E o que mais marcou nesses meus 43 anos de Brasil Central foi o contato direto com o ouvinte da Rádio Brasil Central, através da participação por telefone ou nos grandes eventos, como o Brasil Central Show, onde a gente levava os cantores para o contato direto com o ouvinte da Rádio Brasil Central. As transmissões no Parque Agropecuário de Goiânia também me marcaram muito. Por isso eu digo que é muito importante fazer parte dessa história.”

Escrete de Ouro

Rupert Nickerson (comentarista do esporte) - “Comecei a trabalhar na Rádio Brasil Central em 1977 como operador de som, puxando fio no estádio Serra Dourada naqueles grandes clássicos do Vila Nova e Goiás para o Evandro Gomes, que foi por muitos anos comandante do Escrete de Ouro. Depois ganhei uma oportunidade como plantão esportivo. Em 1978 aconteceu a primeira grande oportunidade: o jogo Atlétlico Mineiro e Flamengo, no Serra Dourada. Com muita chuva, o jogo nem acabou. Aí ganhei a primeira grande chance da minha vida. Fui cobrir o Flamengo de Zico, Nunes, Lico, Cláudio Coutinho, muita coisa boa. Fui lá, fiz a cobertura, e não saí mais do Departamento de Esporte. A RBC marcou muito na minha vida. Por aqui eu tive meu pai, o jornalista Nickerson Filho apresentando programas, fazendo narrações esportivas desde a década de 1960. São muitas histórias.” 

Adolfo Campos (cronista esportivo e ex-servidor) -“É com muito prazer, alegria e honra para mim falar dos 70 anos da Rádio Brasil Central, que sempre chamei de ‘a maior rádio de Goiás’. Eu me divido em duas pessoas. Como ouvinte, como era bom ouvir o Escrete de Ouro no comando do (jornalista) Jayro Rodrigues, ouvir o Moraes César, o programa Nossa Fazenda, ouvir o Conrado de Oliveira, o Mestre Cuiabano, o Oscar Barbosa. Que rádio maravilhosa! E depois, como profissional, me sinto honrado de ter participado da cobertura que o Escrete de Ouro fez na Copa do Mundo (de Futebol) de 1990, na Itália.”

Hugo Sérgio (comentarista esportivo e ex-servidor) -“Durante 25 anos estivemos lado a lado, diariamente, convivendo com extraordinários profissionais do esporte, do jornalismo, locutores, redatores, comentaristas, repórteres, produtores, plantão esportivo, operadores de som, central técnica, programadores musicais, a gráfica, a administração, transporte, diretores, depto comercial, os produtores. Foram 25 anos que ficaram na lembrança, na memória e na alma.” 

Vozes femininas

Sarita Quadrado (produtora e apresentadora) - “A Rádio Brasil Central faz parte da vida de todos os goianos e dos brasileiros. Há 36 anos eu venho acompanhando, como funcionária e ouvinte, o trabalho maravilhoso que os diretores e colegas têm desenvolvido ao longo dessa história. Pedimos a Deus que ilumine nossa rádio para que ela continue ajudando milhares de pessoas e servindo a população.” 

Nelsimar Moraes (locutora e apresentadora) - “Comecei no antigo Cerne. Em 16 de julho de 1984 vim para as emissoras do Cerne onde atuei nas reportagens de rádio e de TV, para os programas de entretenimento e jornalísticos. Comandei também dois grandes programas na emissora. Um que ficou 25 anos no ar e fez história: A noite é nossa. Vários colegas ainda hoje usam a mesma plataforma, o mesmo esquema e fazem os seus programas com grande audiência. Fiz o Show da Tarde por quase seis anos também, programa de entrevista, entretenimento e informação, com participação do ouvinte. Para mim, o rádio é minha vida, minha história. Participei de praticamente todos os programas da Rádio Brasil Central. Também integrei o Escrete de Ouro, com o Evandro Gomes, Edson Rodrigue e Jurandir Santos.” 

Rosângela Santos (programadora musical) - “Sou programadora e ouvinte da Rádio Brasil Central desde criança. Naquela época, eu já tive privilégio de ser ouvinte da rádio, porque meus pais ouviam e, por sinal, gostavam muito. Hoje, tenho a honra de participar desse time maravilhoso que faz a emissora acontecer, com notícia, música, cultura, diversão e muito mais.”

Apresentadores de programas

Sérgio Rubens (locutor) - “Essa emissora tem um significado tão grande nos corações dos goianos e, por que não dizer, de todos os brasileiros? Faço questão de citar isso, porque ela é uma das pioneiras do nosso Brasil Central, no coração da pátria, e uma influência muito grande na construção da capital Brasília. Aqui nós temos uma grande família, a família Rádio Brasil Central, a qual eu pertenço há mais de 50 anos. Aqui sempre foi e sempre será a escola do rádio.”

Saulo Marconi (locutor e ex-servidor) - “Apresentei na Rádio Brasil Central, por muitos anos, o programa Hora do Forró. Não poderia deixar de prestigiar o aniversário dessa rádio maravilhosa, espetacular e estrondosa que me deu só alegrias. Esta é a única rádio do Brasil que fala para os quatro cantos do mundo: Ásia, África, Estados Unidos e Europa.” 

Juvêncio Alarcon (locutor) - “Há 34 anos trabalho na Rádio Brasil Central, uma emissora que surgiu para defender e brigar pela transferência da capital federal para o Estado de Goiás. Nesses 70 anos, a emissora sempre lutou pelo melhor para Goiás e continuamos lutando. E lutas trazem conquistas.”

ABC Digital, com texto de Mariza Santana