Governador e psicóloga dizem em live que a população fique tranquila nesse momento de dificuldade com a Covid-19

Caiado reafirmou o pedido para a população ficar em casa e evitar aglomerações, inclusive nos ônibus

Em entrevista ao vivo pelas redes sociais aos veículos da Agência Brasil Central (ABC), comandada pelo jornalista Jânio Rodrigues, o governador Ronaldo Caiado e a psicóloga e superintendente de Saúde Mental da Secretaria de Estado de Saúde, Candice Rezende, buscaram tranquilizar as pessoas nesse momento de crise em função da presença em nosso meio do novo Coronavírus (Covid-19), que está causando muita apreensão em toda a população mundial, a goiana incluída. Eles pediram paciência e atenção a todos e que não fiquem apavorados, apenas cumpram a quarentena em casa, procurando alternativas e mantendo rotinas.

Caiado procurou a todo momento tranquilizar a população, observando que ninguém esconde dados e que as pessoas têm todo o acesso ao que está acontecendo em Goiás, em função dessa crise do novo Coronavírus. Tanto ele como a psicóloga Candice afirmaram que o momento é grave e existe, sim, a dificuldade com essa doença, mas que o momento não é de pânico, porque isso enfraquece as pessoas e até diminui a resistência delas.

Cuidado com as informações

Candice afirmou que não se tem todas as respostas, mas os esforços estão sendo feitos, que as pessoas precisam se informar pelos canais competentes e responsáveis, não devem se inundar de informações e ressaltou a transparência como fundamental na condução desse processo, o que já acontece com os organismos oficiais do Estado de Goiás. Defendeu a ampliação das formas de ocupar as crianças, que elas tenham uma rotina como se estivessem em sala de aula, e procurar evitar as aglomerações e a ansiedade nesse momento, apesar de o Brasil ser o campeão de ansiosos no mundo, segundo dados de pesquisas da área da saúde.

Numa crise como esta, o governador disse que a primeira atitude dos idosos é a de não aceitar, depois entrar em pânico e em terceiro lugar vem a irritação, seguida da depressão. Por isso, observou, é necessário cuidar para evitar o pânico e as aglomerações, como se viu hoje, 23, em postos de vacinação da capital, onde ele mesmo teve de intervir para sanar isso. “O que vimos hoje na vacinação é tudo que não podia acontecer. Por isso fui lá, porque não podemos, nesse momento, colocar tudo a perder”, afirmou Caiado, observando que é importante se cuidar para não ficarmos ansiosos e que espera que ao final dessa situação Goiás vai dar exemplo para o Brasil.

Candice afirmou que é preciso nesse momento amenizar ao máximo a curva do colapso, que pode provocar mais problemas no enfrentamento da doença. O governador voltou a afirmar que as forças policiais goianas estão atentas e punindo os crimes cibernéticos dos que tentam espalhar o pânico e o medo, e também atuando para manter o que determina a legislação, os decretos, que o governo de Goiás expediu para evitar a proliferação do vírus. Criticou os que querem se aproveitar para tirar vantagem pecuniária dessa situação e que a fiscalização continua firme para impedir e punir esses espertalhões. Reiterou o pedido que vem sendo feito para que as pessoas não se aglomerem nos ônibus do transporte coletivo da capital e só andem sentados, mantendo uma distância razoável, para evitar o contágio.

A íntegra da live realizada pelos veículos da ABC pode ser conferida no Facebook da TV Brasil Central.

ABC Digital