Geriatra dá orientações importantes aos idosos contra o Covid-19 no TBC 1

A médica Elisa Franco ressaltou a necessidade de os idosos manterem hábitos saudáveis e boa higienização

A médica geriatra Elisa Franco, nos estúdios da TBC

Os cuidados com os idosos, que fazem parte do grupo de risco nessa pandemia do novo coronavírus (Covid-19) que chegou até nós, foram o assunto do Bate-Papo de hoje no TBC 1, sendo entrevistada a geriatra Elisa Franco. Ela enfatizou a necessidade de os idosos ficarem em casa, diminuírem o contato com as pessoas, inclusive crianças, que muitas vezes são assintomáticas nessa doença, e manterem sempre hábitos saudáveis de higienização.

Ela disse que envelhecer diminui o sistema imune, as defesas do organismo, por isso o idoso é mais propenso a ter doenças crônicas que o colocam no grupo de risco, como hipertensão, diabetes, Alzheimer, Parkinson, e também pode acompanhá-lo a síndrome de fragilização do idoso, “sendo ele mais vulnerável às agressões, sejam elas pela doença ou por tratamento”.

A médica Elisa Franco ressaltou a necessidade de se tomar mais cuidado com o idoso, mantendo-o em casa. “A gente tem de evitar o contato com eles, cuidando das medidas adequadas de higiene: chegar em casa e lavar as mãos, às vezes mesmo até trocar de roupa, se esteve em lugar com muitas pessoas. E tomar um banho antes de ter o contato com o idoso”, afirmou, acrescentando que é preciso ter cuidado também  para não abandoná-lo, pois quase sempre ele precisa do cuidado, muitas vezes para banho, comida e companhia. 
Segundo ela, o isolamento também tem trazido muitas dificuldades aos velhos, que muitas vezes têm deficiência visual ou não escutam e é difícil até mesmo para ver televisão ou usar novas tecnologias. “Também não podemos abandoná-los, senão terão problemas por causa disso. Precisamos cuidar deles, sem abandoná-los’, enfatizou.

Sobre o contato dos netos, observou que é necessário diminuir, “porque a criança pode ser portadora sem os sintomas importantes e, muitas vezes, totalmente assintomática, e ela levar a doença para o idoso”. Caso o idoso precise sair para fazer tratamento, ela mostrou que é importante verificar se a clínica toma os cuidados necessários de higienização, não devendo de forma nenhuma levar o idoso se ele tiver com tosse ou algum problema respiratório.

A geriatra Elisa Franco disse também que “não existe evidência científica que tenham vitaminas, hormônios, substâncias e imunomoduladores que possam melhorar a resposta imune do idoso”, e que para o combate dessas doenças é necessário que a pessoa idosa tenha uma alimentação correta, um sono adequado, descanso e cuidados de higiene. “É bom também reduzir as visitas aos abrigos de idosos”, sentenciou.

Confira a íntegra da entrevista nos vídeos abaixo:

ABC Digital