Diário do Isolamento

Imagem representando um casal isolado atrás de um separador de plástico

Nem bem completamos quatro dias de quarentena – na ABC começamos oficialmente no horário do almoço de segunda feira – e as notícias a respeito do que vem acontecendo durante este surto são desanimadoras, para não dizer desesperadoras. 

A Organização Mundial do Trabalho, por exemplo, calcula o montante de 25 milhões de empregos perdidos no planeta. 

Ocorre que devemos nos lembrar que é ainda uma estimativa – e geralmente os analistas que fazem estas projeções tendem a ver o “copo mais vazio”, explorar o pior cenário, como uma forma de se projetar a recuperação a partir dali. E podem ter certeza que, da forma como o mercado mundial foi afetado por esta pandemia, o esforço para recuperação econômica provavelmente será feito em conjunto. 

Itália anuncia 475 mortos em apenas 24 horas. 

O caos italiano parece estar ainda longe do fim. E ainda possui o agravante de, por conta dos serviços de saúde estarem operando em situação muito além de seu limite, seus profissionais se veem obrigados a verdadeiras “escolhas de Sofia”, deixando de cuidar de um paciente com menos expectativa de vida – os mais idosos, por certo – para dar tratamento aqueles com mais probabilidade de sobrevivência.  

Sobe para 529 o número de infectados no Brasil. E as primeiras mortes. 

Observando que o primeiro caso registrado no país foi em 25/02, temos uma curva evolutiva que pode ser considerada até branda, se compararmos com outros países. Outro ponto é que com as medidas restritivas aplicadas recentemente – com fechamento de locais de grande aglomeração de pessoas, cancelamento de festas, shows e eventos esportivos e a orientação para que todos aqueles que não tenham atividades realmente relevantes para o momento fiquem em suas casas nos próximos dias, deverá ocorrer ainda o “achatamento da curva”; a diminuição do número de transmissões.   

Mas as boas novas também dão ar da graça:

Remédio para Gripe curou pacientes de Covid-19 em apenas 4 dias. 

Um antiviral japonês, o favipiravir, produziu “resultados encorajadores” no tratamento do Coronavírus, em casos considerados leves a moderados. A respeito dos casos mais graves, pesquisadores japoneses não informaram sua eficácia. 

Há pelo menos duas vacinas contra a Covid-19 sendo testadas em humanos. 

Cientistas norte-americanos já estão testando vacinas experimentais em seres humanos, bem como suas contrapartes chinesas – estas ainda no limiar dos testes – para encontrarem uma cura para a atual pandemia. É uma luz apontando no fim do túnel. 

Primeiro brasileiro curado do Coronavírus. Não precisa dizer muito: “ele” não é invencível. Mas, se puder evita-lo, a coletividade agradece.

Texto: Cristiano Deveras/ABC Digital